Contraprova confirma doping nos Jogos de Vancouver

Esquiadora polonesa pode receber pena de dois anos pelo uso de substâncias proibidas na Olimpíada de Inverno

AE, Agencia Estado

17 de março de 2010 | 11h42

O resultado positivo da contraprova, divulgado oficialmente nesta quarta-feira, confirmou o doping da esquiadora polonesa Kornelia Marek durante os Jogos Olímpicos de Inverno de Vancouver, que aconteceram nas duas últimas semanas de fevereiro. Suspensa provisoriamente, ela pode receber pena de dois anos caso seja condenada, além de ver seus resultados na competição serem anulados.

Kornelia Marek, de 24 anos, foi flagrada no exame realizado no dia 25 de fevereiro, após ficar em sexto lugar na final da prova de 20km do esqui cross-country - ela esteve em outras duas provas nos Jogos, sem resultados expressivos. O resultado positivo para a presença da substância proibida EPO foi revelado apenas em 11 de junho. E agora a contraprova confirmou o doping da polonesa.

Segundo o presidente do Comitê Olímpico da Polônia, Piotr Nurowski, a atleta admitiu ter tomado injeções, mas explicou que não sabia que continham substâncias proibidas - o nome do responsável pelas tais injeções não foi revelado. "Esperamos encontrar o culpado para que ele seja banido do esporte, porque essa pessoa destruiu a carreira dessa garota", disse o porta-voz da entidade, Henryk Urbas.

Com a confirmação, Kornelia Marek passa a ser o primeiro caso real de doping nos Jogos de Inverno de Vancouver. Ainda durante a competição, dois jogadores de hóquei sobre o gelo, a russa Svetlana Terenteva e o eslovaco Lubomir Visnovsky, chegaram a ser advertidos por uso de medicamentos proibidos, mas escaparam de qualquer punição.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.