Contratação de Pelé fez time conquistar o país

NOVA YORK

Gustavo Chacra, O Estado de S.Paulo

17 de julho de 2011 | 00h00

O New York Cosmos é uma história à parte do futebol nos Estados Unidos. Fundado no início dos anos 1970, foi iniciativa de Steve Ross, então presidente da Warner. Mas o time tinha dificuldades para crescer em um esporte praticamente ignorado no país.

As partidas eram disputadas para algumas dezenas de pessoas em campos esquecidos. Foi quando assessores de Ross tiveram a ideia de contratar Pelé.

Na maior negociação da época, Pelé chegou no início de 1975, dando início à fase áurea do Cosmos. Seu salário anual de US$ 1,5 milhão (US$ 6 milhões, em valores atuais), superava o das estrelas do beisebol, do futebol americano e do basquete.

A estreia de Pelé foi transmitida pela CBS, uma das maiores redes de TV dos EUA. O Cosmos passou a jogar no estádio do Giants, chegando a reunir 70 mil espectadores. Sem títulos, a equipe acabou contratando outros jogadores, como Carlos Alberto Torres e Beckenbauer.

Porém, foi o italiano Chinaglia que rivalizaria com Pelé e, de certa forma, transformaria a história do time. Maior goleador do clube, ele jogou no Cosmos no seu apogeu. O jeito emotivo encantou os torcedores, especialmente a gigantesca comunidade italiana de Nova York.

Com a aposentadoria de Pelé em 1981, Chinaglia passou a reinar sozinho. Mas o futebol começou a perder espaço. A maior parte dos clubes começou a ter prejuízo. No fim, o Cosmos também fechou as portas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.