Contusões atormentam Mano antes do clássico

Chicão torce tornozelo e se une aos machucados Jorge Henrique, Fabinho, Escudero e Elias. Cheio de problemas, técnico treina time com um a mais

Fábio Hecico, O Estadao de S.Paulo

19 de março de 2009 | 00h00

Depois da tempestade, vem a bonança. O ditado, muito usado, não serve para o Corinthians. Um dia após um dilúvio na capital, numa manhã de sol aparentemente tranquila, Mano Menezes viu um de seus principais titulares aumentar a lista de problemas para o clássico de domingo contra o Santos: o zagueiro Chicão torceu o tornozelo. Escudero (adutor), Elias (coxa), Fabinho (panturrilha) e Jorge Henrique (dores musculares) são os outros problemas.O relógio marcava 10h24 quando, em um lance simples de domínio de bola, Chicão pisou em falso no gramado do Parque Ecológico e virou o pé. O zagueiro se contorceu de dor e ergueu o braço pedindo atendimento. "O pé está muito inchado. Vamos ter de esperar 24 horas para dar uma avaliação mais clara", informou o médico do clube, Júlio Stancatti.A contusão deixou o atacante Ronaldo boquiaberto. Do lado do companheiro, o Fenômeno olhava, preocupado, possivelmente lembrando de suas graves lesões no joelho.Chicão, mancando, foi levado ao vestiário. Ficou lá por 28 minutos até deixar o local, de semblante fechado e andando com muita dificuldade.Em julho do ano passado, também no Parque Ecológico, o camisa 3 sofreu a mesma lesão e desfalcou o time por quase um mês na disputa da Série B.O zagueiro é artilheiro da equipe no ano, com seis gols, e considerado peça-chave para o time, dono da melhor defesa do Estadual (11 gols sofridos, ao lado do Santo André).O substituto imediato de Chicão seria Escudero. Mas o argentino fica fora por 15 dias.Com tantos problemas, Mano treinou o time com um jogador a mais no meio-de-campo: Alessandro, Chicão (depois Jean), William e André Santos; Cristian, Túlio, Boquita, Morais e Douglas; Dentinho e Ronaldo. Com isso, o volante Túlio espera jogar pela terceira vez seguida. "Para um volante, que pega muito na bola, é bom estar jogando sempre. Já passou da hora de eu repetir aqui o futebol apresentado no Botafogo", disse Túlio, que pediu atenção a Neymar, no clássico. "Um jogador rápido, que, se deixar no mano a mano, vai amarelar todos os seus marcadores", enfatizou.Mano revelou ter vontade de escalar um time ofensivo, não descarta usar três atacantes, mas antes precisa saber com quem contará. Ronaldo e Dentinho devem formar o ataque pela 1ª vez.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.