Felipe Rau/Estadão
Felipe Rau/Estadão

Convocação no handebol tem apenas 4 campeãs mundiais

Demais atletas estao defendendo suas equipes na Europa

Agência Estado

16 de janeiro de 2014 | 19h37

SÃO PAULO - Depois de conquistar o inédito título mundial em dezembro, na Sérvia, a seleção brasileira feminina de handebol volta a se reunir para um período de treinos e a disputa de um amistoso contra a República Dominicana. Mas apenas quatro jogadoras daquele grupo que foi campeão foram chamadas agora, porque as demais estão defendendo seus clubes na Europa, o que abre a chance para testar novos talentos.

Assim, Amanda de Andrade, Deborah Hannah Pontes Nunes, Elaine Gomes Barbosa e Mayara Fier de Moura são as quatro campeãs mundiais que foram convocadas nesta quinta-feira. Mas as grandes estrelas da seleção, como Alexandra, Duda e Babi, não estarão com o grupo dessa vez. Nem mesmo o técnico Morten Soubak fará parte desse período de treinos, deixando o comando com o auxiliar Alex Aprile.

Pela programação, as 20 convocadas começam a treinar no dia 26 de janeiro, em São Bernardo do Campo (SP), e encerram o trabalho com o amistoso diante da República Dominicana, em 2 de fevereiro, na mesma cidade. "Mesmo com a ausência de meninas que atuam na Europa por estarem no meio da temperada, esse é um importante trabalho de manutenção e de observação de atletas, com foco nos Jogos Sul-Americanos, Pan-Americano e Olimpíada do Rio", explicou o presidente da Confederação Brasileira de Handebol, Manoel Luiz Oliveira.

Para Mayara, o amistoso será bom para receber o carinho do torcedor brasileiro depois da conquista do título mundial. "Eu estou feliz e achei legal essa fase ser no Brasil. Depois do Mundial, quando nós retornamos, fomos muito bem recebidas pelos brasileiros. Toda a repercussão foi uma surpresa para nós. Acredito que o público vai prestigiar e vai continuar nos dando todo esse carinho", disse a jogadora.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.