Copa América de Ciclismo sem favoritos

Três ciclistas estarão na pista do Autódromo de Interlagos em busca do bicampeonato na prova masculina da Copa América. A disputa começa neste domingo, às 10 horas (TV Globo), duas horas depois da largada da prova feminina. Os brasileiros André Grizante e Renato Rohsler, vencedores em 2001 e 2003, respectivamente, mais o uruguaio Alem Rayes, ganhador de 2004, terão trabalho, já que a prova promete ser bastante equilibrada.A competição em Interlagos tem características bem específicas: leva vantagem quem mostrar velocidade e tiver ótima chegada. No masculino, os competidores precisam atuar no limite das forças durante praticamente as dez voltas da prova. O mesmo vale para a disputa feminina, em cinco voltas.Entre as equipes brasileiras favoritas à vitória estão a Memorial-Santos, a Extra/Suzano e a Scott/Marcondes César/Fadenp/São José dos Campos. Mas os times estrangeiros - da Argentina, Uruguai, Portugal e Estados Unidos - também têm chance. Ninguém se arrisca a apostar em um vencedor."São José é favorita, mas Suzano tem o André Grizante, que pode definir num sprint, o Morcegão e o Renato Ruiz. A Memorial, o Daniel Rogelin e o argentino Jorge Giacinti. E também tem os estrangeiros", afirma Márcio May, de São José. "O equilíbrio é muito maior hoje do que há alguns anos. São dez equipes com chance de vencer", afirma Mauro Ribeiro, técnico de Suzano."No papel, o favoritismo é de São José, mas temos o Armando Camargo, o argentino Giacinti, o Daniel Rogelin... Todos podem vencer, vai ser uma guerra", prevê Cláudio Diegues, técnico da Memorial-Santos. Segundo ele, pelas características da competição, a chance de o integrante de uma das equipes cometer algum erro é grande.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.