Coreia do Norte exige que gafe não se repita em Londres

Bandeira da rival Coreia do Sul apareceu ao lado dos nomes das jogadoras no telão do estádio de Glasgow

AE, Agência Estado

26 de julho de 2012 | 09h50

O Comitê Olímpico da Coreia do Norte expressou nesta quinta-feira o seu descontentamento com a gafe cometida na noite anterior, quando a bandeira da rival Coreia do Sul apareceu ao lado dos nomes das jogadoras norte-coreanas no telão do estádio de Glasgow, onde ocorria a estreia do time de futebol feminino diante da Colômbia.

O representante da Coreia do Norte no Comitê Olímpico Internacional, Chang Ung, exige que o mesmo erro não se repita. "Isso não deveria ter acontecido. Estou realmente surpreso em que ver que os organizadores dos Jogos de Londres, o pessoal do protocolo, não convidou ninguém da equipe para verificar se aquela é a sua bandeira", reclamou o dirigente.

Por conta da gafe, as norte-coreanas se retiraram de campo e só retornaram ao gramado do estádio em Glasgow depois que o Comitê Organizador se desculpou oficialmente. Na avaliação de Ung, o incidente não é um grande problema político, mas a confusão de bandeiras pode trazer "consequências política negativas" ao movimento olímpico.

O dirigente sugeriu um novo protocolo para que o mesmo erro não se repita. "Com 302 cerimônias de medalhas previstas, se algo de ruim acontecer, isso será prejudicial ao COI. Antes, as pessoas de protocolo devem convidar o líder da equipe ou o capitão para conferir (a bandeira)."

O presidente da Fifa, Joseph Blatter, tentou minimizar o problema durante a assembleia do COI, à qual Ung também estava presente. "Isso é um incidente menor, que foi resolvido a tempo. Acho que o mais importante é ir para o esporte. Como o representante da Coreia do Norte disse, não é um problema política. E eu estou feliz com isso."

Ainda na noite de quarta-feira, o comitê organizador da Olimpíada de Londres havia pedido desculpas à Coreia do Norte pela gafe política. "Nós pedimos desculpas ao time e ao Comitê Olímpico nacional. Medidas serão tomadas para que este erro não seja repetido."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.