Corinthians admite: é ''tudo ou nada'' no clássico

Corinthians admite: é ''tudo ou nada'' no clássico

Mano Menezes põe fim aos testes e escala time quase 'ideal' contra o São Paulo. Felipe, lesionado, deve ficar fora

Bruno Deiro, O Estadao de S.Paulo

27 de março de 2010 | 00h00

A precaução que marcou a trajetória do Corinthians desde a conquista da Copa do Brasil, em 2009, chegou ao fim. Em meio à disputa da Libertadores, Mano Menezes extingue o rodízio, usado para poupar alguns atletas e testar outros, e vai para o tudo ou nada no Estadual. Escalará o "time ideal" para o clássico de amanhã com o São Paulo, no Pacaembu, decisivo na briga por vaga na semifinal. Ou quase ideal, já que Felipe se machucou e será substituído por Rafael Santos.

Até Ronaldo ouvir as primeiras vaias, na derrota para o Paulista, em Barueri, ainda se falava no Parque São Jorge em preparação e dosagem para a disputa de duas competições. Ontem, porém, o treinador alvinegro disse que a prioridade na montagem do time é usar titulares. "Vamos levar em consideração todos os aspectos, mas acima de tudo uma necessidade de definirmos uma formação-base, muito próxima daquilo que estamos utilizando nos últimos jogos."

Ronaldo, que marcou apenas duas vezes na temporada e saiu vaiado na quarta-feira, ganhou apoio do treinador. "É o momento de mostrar a consideração que temos por ele. Mas é o grupo que tem de mostrar em campo. Não podemos depender apenas de um jogador."

Mano deve escalar Dentinho e Jorge Henrique ao lado do Fenômeno no ataque, formação que bateu o Tricolor na semifinal do Estadual de 2009. O treinador admite que, a três rodadas do fim, não esperava ter de ir para o tudo ou nada em um clássico. "Você nunca imagina como vai ser 17 rodadas antes. Esperávamos estar em condição melhor."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.