Corinthians apura pontaria em busca de gol fora de casa

Mano Menezes troca rachão por treino de conclusão antes de encarar Vasco no Maracanã

Fábio Hecico, O Estadao de S.Paulo

27 de maio de 2009 | 00h00

Véspera de jogo e viagem, dia do tradicional rachão, correto? Para o Corinthians, data para aprimorar a pontaria, na busca de importante gol diante do Vasco, pelas semifinais da Copa do Brasil, no Maracanã (21h50). Ciente de que gol na casa do adversário tem peso maior, Mano Menezes colocou todos os titulares para chutar a gol antes da tradicional brincadeira.Alguns exageraram. Após os trabalhos, enquanto todos se preparavam para a viagem, o zagueiro Chicão, artilheiro do time na competição com três gols, ficou cobrando faltas ao lado do meia Douglas. Fez alguns belos gols, para felicidade dos corintianos que assistiam aos trabalhos no Parque Ecológico.Marcar gols, nem que seja apenas um, diante dos cariocas, é um pedido de Mano. Por isso, estuda a manutenção do esquema com três atacantes, escalando Souza na vaga de Ronaldo, machucado. Em quatro jogos longe no Pacaembu, pela Copa do Brasil, o ataque corintiano fez a diferença, balançando as redes adversárias em oito oportunidades, dois em cada confronto (Itumbiara, Misto-MS, Atlético-PR e Fluminense)."Marcar gols será importante para dar mais tranquilidade no duelo de volta", afirmou o volante Elias, que ontem também teve seu papel de homem-gol, ao acertar belo voleio no trabalho e correr para a torcida."Acho a regra do gol fora de casa um pouco ingrata, poderíamos trabalhar com saldo simples de gols", afirma Mano. "Ela foi criada para que as equipes tentassem marcar mais gols fora, mas estamos vendo que agora é quem joga em casa que prefere não sofrer gols", disse.Mano qualifica como perigoso os jogos como mandante, agora. "Tinham de encontrar outra fórmula para valorizar os gols. Diante do Fluminense, pensamos muito em como íamos buscar o segundo gol sem correr risco, e acabou que o 1 a 0 foi decisivo", enfatizou. "O regulamento é esse. Temos de saber nos comportar com ele." Desde o ano passado o Corinthians vem sendo um visitante incômodo na Copa do Brasil. Em 2008, o único jogo no qual deixou a desejar custou o título diante do Sport, com derrota por 2 a 0 na Ilha do Retiro. Nos demais, o time fez sempre gols. Mesmo sem Ronaldo, a esperança é que Dentinho, Jorge Henrique e companhia estejam em noite feliz. "Temos de trazer a decisão para São Paulo, não deixar o Vasco fazer com a gente o que fez com o Vitória (4 a 0), no Rio", avaliou o treinador corintiano.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.