Nilton Fukuda/AE - 13/2/2012
Nilton Fukuda/AE - 13/2/2012

Corinthians conta, de novo, com experiência

Fato de elenco ter vários jogadores acostumados a jogar a Libertadores é apontado como ponto positivo do Alvinegro

VÍTOR MARQUES, O Estado de S.Paulo

14 de fevereiro de 2012 | 03h08

SANTOS - O Corinthians inicia amanhã sua participação na Libertadores não apenas com um time experiente, mas também com jogadores que conhecem bem a competição. O elenco de Tite mantém alguns remanescentes das campanhas de 2010 e 2011. Além disso, conta com dois campeões: Danilo, que venceu a Libertadores em 2005 pelo São Paulo, e Alex, que em 2006 defendia o Internacional.

Entre os dois, Danilo é o recordista em participações. Vai disputar o torneio pela sexta vez: já jogou três pelo São Paulo e duas pelo Corinthians. "Para ser campeão da Libertadores é preciso ter um time bom, além de experiente, porque em algumas partidas é preciso jogar para não levar gol", disse o meia.

Do time que vai iniciar a partida contra o Táchira, amanhã, na Venezuela, três deles participaram da Libertadores em 2010: Chicão, Alessandro e Danilo. Naquele ano, o Corinthians, que contava também com Ronaldo e Roberto Carlos, caiu para o Flamengo nas oitavas de final.

A maioria dos outros titulares estava em campo na derrota para o Tolima, ano passado, como Júlio César, Leandro Castán, Ralf e Paulinho. Já Liedson, Emerson Sheik e Alex, jogadores também rodados, foram contratados após à queda diante dos colombianos, para a disputa do Campeonato Brasileiro.

O técnico também tem bastante experiência no torneio. Tite vai comandar uma equipe na Libertadores pela sexta vez. Não conquistou nenhum título, mas já foi campeão da Copa Sul-Americana em 2008, pelo Inter.

Não é a primeira vez que o Corinthians monta um time "experiente" para disputar a competição. Em 2010, Mano Menezes apostou em vários jogadores acima dos 30, mas se deu mal. Avaliam, porém, que naquele ano pesou o fato de o clube festejar o centenário, colocando mais pressão sob os jogadores.

Por isso a chave para ir bem dessa vez, segundo a comissão técnica e diretoria, é o elenco ter a cabeça no lugar e não encarar a competição como o fim do mundo. "Libertadores é pequenininha perto do Corinthians, não é preciso aquela sangria para disputá-la", foram uma das primeiras palavras do novo presidente Mário Gobbi ao assumir o clube.

Tite também pensa como seu novo chefe. Ele já disse várias vezes que o Corinthians precisa encarar a Libertadores com "tesão", não com "obsessão''.

Viagem longa A maratona para chegar à Venezuela começou ontem, depois de uma viagem de mais de dez horas, pegando dois aviões e um ônibus, até chegar a San Cristóbal, local do confronto com o Táchira.

Hoje, o time irá fazer um trabalho leve de reconhecimento do gramado do estádio. A delegação só retorna ao País na quinta-feira à noite.

CORINTHIANS. MÁRIO GOBBI VAI CONTROLAR DE PERTO O FUTEBOL

Tudo o que sabemos sobre:
FutebolCorinthiansLibertadores

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.