Corinthians dá pontapé inicial na série de decisões do ano

Primeiro desafio é hoje, contra o Fortaleza, por vaga nas oitavas-de-final do torneio nacional

Fábio Hecico, O Estadao de S.Paulo

03 de abril de 2008 | 00h00

O Corinthians já disputou 20 jogos nesta temporada. E com bom desempenho (65% de aproveitamento). Mas agora as partidas terão valor muito maior. A partir das 21h30 de hoje, no Morumbi, o time dá início aos duelos decisivos do ano. O primeiro deles, teoricamente, não é tão difícil, pois pode até perder por 1 a 0 para o Fortaleza para avançar às oitavas-de-final da Copa do Brasil - venceu por 2 a 1 no Nordeste. Acompanhe online os lances do jogoAlém da boa vantagem, o time conta com retrospecto favorável no confronto com os cearenses em solo paulista. Foram oito partidas, com seis vitórias e dois empates. ''Isso não significa nada. Será uma decisão e temos de pensar assim o jogo todo'', avisa Bóvio. Um alerta: no ano passado, nas oitavas-de-final, o Corinthians vinha de bom resultado (2 a 2) no Recife, diante do Náutico, e acabou derrotado (2 a 0) no Pacaembu, na estréia de Paulo César Carpegiani. ''Temos de entrar com atenção'', acrescenta o volante.Os jogadores preferiram não falar do Campeonato Paulista nos últimos dias. ''Deixem para falarmos do Noroeste na sexta-feira. Não pensar no Fortaleza agora seria um grande desrespeito'', diz o zagueiro Chicão.Depois do jogo de hoje, a vida corintiana deve começar a ficar mais complicada. No domingo, para chegar às semifinais do Paulista, tem de vencer o Noroeste e ainda torcer contra rivais. E, avançando nesta noite, dificilmente encarará adversários na Copa do Brasil que não sejam da Série A.Há a possibilidade de enfrentar carrascos de 2007, como o Goiás, Grêmio, Atlético-MG e Internacional. ''Se passarmos pelo Fortaleza, já teremos bons confrontos até o fim'', analisa o técnico Mano Menezes. ''E na Série B todos os jogos serão decisivos até que a equipe construa uma possibilidade boa de subir para a Primeira Divisão.''Preocupação? Não. Para ele, motivação. ''Um bom sinal. Sinal de que o time voltou a se aproximar da zona de tabela que deve ser a realidade do Corinthians.''Desta vez, Mano resolveu deixar de lado o mistério e anunciou a escalação da equipe. Chicão volta à defesa e Diogo Rincón assume a armação das jogadas. ''No futebol de hoje está muito difícil inventar coisas novas. Todos se conhecem'', diz, contrariando suas atitudes de jogos anteriores. ''E, às vezes, você planeja entrar com um jogador diferente, num planejamento diferente, e isso acaba não dando certo. Temos é de entrar determinados e fazer o resultado, com boa atuação.''O treinador não quer é saber de desrespeito com o adversário. Mano buscou em viradas históricas, ou tropeços surpreendentes, motivos para deixar seus jogadores em alerta. ''No Paulista mesmo, deixamos escapar resultados importantes. E os usamos como exemplos para que esses erros não se repitam'', afirma, lembrando os empates com Mirassol, Sertãozinho, Bragantino e Juventus.LOPES ESTRÉIANo Rio, o Vasco enfrenta o Bragantino, às 19h30, na estréia do técnico Antonio Lopes. Em Bragança Paulista, houve empate por 2 a 2. Edmundo será poupado para o clássico com o Flamengo, domingo, pela Taça Rio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.