Corinthians desafia histórico ruim na reta final

Equipe tem pela frente adversários que costumam lhe causar problemas, nas últimas quatro rodadas da competição

Fábio Hecico, O Estado de S.Paulo

11 de novembro de 2010 | 00h00

Um assunto que agitou o Campeonato Brasileiro nesta semana foi a campanha lançada por torcedores palmeirenses e são-paulinos para que suas equipes "entreguem" o jogo para o Fluminense e prejudiquem o Corinthians na luta pelo título. No Parque São Jorge, todos confiam no profissionalismo dos arquirrivais. A preocupação, contudo, é o caminho complicado do Alvinegro nesta reta final: Cruzeiro e Vasco como mandante e Vitória e Goiás fora de casa.

A batalha começa no sábado, às 19h30, diante do Cruzeiro, no Pacaembu. O vencedor praticamente se garante na Libertadores de 2011. E ganhar tem sido tarefa complicada diante dos mineiros no estádio. Nas duas últimas temporadas, por exemplo, o time perdeu (3 a 0 e 1 a 0).

"Temos quatro decisões pela frente e ninguém dará nada de graça para o Corinthians", comentou Ronaldo. Suas palavras têm duas definições: de que os rivais farão de tudo para atrapalhar o time e de que a equipe não terá moleza em campo.

As palavras são endossadas pelo capitão William. "Duvido que o São Paulo entregue ou que seus jogadores queiram fazer algo assim. Mas temos de nos concentrar nas difíceis partidas que faremos. Se os resultados depois ajudarem, tudo bem."

Para muitos, passando pelo Cruzeiro, o Corinthians caminhará para três triunfos. Eis que os números mais uma vez surgem para frear o ânimo. Ainda correndo risco de queda, o Vitória não sabe o que é perder em casa para paulistas na temporada. O adversário do dia 21, no Barradão, já bateu duas vezes o badalado Santos (2 a 1 e 4 a 2), uma o São Paulo (3 a 2) e o Grêmio Prudente (2 a 0), além de ter ficado no 1 a 1 com Guarani e Palmeiras.

Efeito suspensivo. A terceira decisão corintiana ainda não tem palco. Isso pelo fato de o STJD ter punido o Corinthians com a perda de mando por incidentes no clássico com o Palmeiras. Hoje, os advogados do clube entram com pedido de efeito suspensivo e a confiança é de que a punição seja anulada.

Se o resultado for negativo, o Corinthians terá de jogar a 100 quilômetros da capital (Araraquara e Campinas são opções). Caso ganhe a causa, será no Pacaembu, onde pegou um Vasco desmotivado em 2007 e, num jogo em que poderia ter escapado da queda, acabou apanhando por 1 a 0.

O encerramento é diante do Goiás, como em 2005, ano em que comemorou o tetracampeonato no Serra Dourada mesmo perdendo por 3 a 2 - ainda pode encarar o rival já rebaixado. Goiânia, porém, traz calafrios aos corintianos. Desde 2001, o Corinthians não vence lá. Mais do que olhar para a tabela do Fluminense, o time do técnico Tite terá de se superar para erguer a taça.

Botafogo empata. A equipe carioca perdeu a chance de se aproximar dos líderes ao apenas empatar com o Ceará por 2 a 2, no Castelão, em Fortaleza.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.