Corinthians e Palmeiras pedem ''''árbitro Fifa''''

Irritados com o nível da arbitragem, dirigentes sugerem à FPF nomes de peso para o clássico de domingo

Fábio Hecico e Giuliander Carpes, O Estadao de S.Paulo

26 de fevereiro de 2008 | 00h00

A diretoria do Corinthians não quer entrar em atrito com a Federação Paulista de Futebol (FPF) por erros de arbitragem em jogos da equipe. Mas vai "recomendar", sem nada oficial, a escalação de um nome experiente para o clássico de domingo, diante do arqui-rival Palmeiras, no Morumbi."Não adianta ficar correndo (escolhendo árbitros) muito porque caímos em outro pior. Eles estão muito ruins", observa o diretor de futebol do Corinthians, Nenê do Posto. "Tomara que o Paulo César de Oliveira seja o escolhido. Esta é a minha opinião particular. Ele seria o ideal para apitar o clássico."E, mesmo recomendando o nome do árbitro número 1 do ranking da FPF, Nenê ainda faz ressalvas. "Ele faria um trabalho bom no jogo, pois é um cara de respeito. Mas não quer dizer que não vá errar", diz.Dirigentes do Corinthians ficaram revoltados no domingo com a anulação de um gol legítimo de Acosta e de um possível pênalti em André Santos não marcado por Marcelo Rogério no duelo contra a Ponte Preta.Antônio Carlos, gerente de futebol, chegou a dizer que o Corinthians poderia até estar na liderança do Paulista não fossem os erros de arbitragens."E não estão fazendo com má vontade, não. É que são ruins mesmo", endossa Nenê. "Antigamente, diziam que eles só ajudavam os times grandes. Agora, têm medo de beneficiar e acabam prejudicando. Parecem querer um quadrangular final só com equipes do interior", desconfia.O diretor de Futebol do Palmeiras, Genaro Marino, em entrevista à Rádio Jovem Pan, também deu sugestões. "Seria interessante o de melhor nível possível e se for da Fifa, melhor ainda."Os árbitros da Fifa no quadro da FPF são Paulo César de Oliveira, Wilson Luiz Seneme e Salvio Spinola. Procurado pelo Estado, Paulo César não quis falar sobre o desejo dos clubes. "Prefiro não fazer nenhum comentário no momento."Marcos Marinho, responsável pela arbitragem da FPF, disse não ter recebido requerimento dos clubes. "É um direito deles. E se vier um pedido do presidente (da FPF, Marco Polo Del Nero), podemos colocar dois árbitros Fifa no sorteio. Mas terá de haver o sorteio."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.