Divulgação/Corinthians
Divulgação/Corinthians

Corinthians não paga salário do time de futsal há três meses, revela jogador

Ala Jackson Samurai diz que atletas aceitaram redução do valor por causa da pandemia, mas clube não honrou o prometido

Redação, O Estado de S.Paulo

26 de junho de 2020 | 10h00
Atualizado 26 de junho de 2020 | 15h12

O ala Jackson Samurai, um dos principais jogadores do time de futsal do Corinthians, revelou que a sua equipe está há três meses sem receber salários. O jogador contou ainda que os atletas chegaram a aceitar uma redução de 50% do valor para facilitar o pagamento, antes mesmo da pandemia pelo novo coronavírus, e, mesmo assim, a dívida continua.

"Nós estamos há três meses sem receber. Fizemos acordo de redução de 50% do salário e nem com essa redução recebemos. Para mim isso foi um baque, porque sempre consegui estar em clubes de grande nível ao longo da carreira e nunca tive esse problema. Infelizmente, pelo que vejo, não temos previsão de receber no próximo mês, porque a situação do Corinthians está bem complicada, inclusive acabaram com o basquete", disse o ala, em entrevista ao Podcast Toca & Sai, do Globoesporte.

O clube nega que esteja com salários atrasados e diz que está pendente apenas férias e direitos de imagem. "Em relação ao salário dos atletas, pendente há apenas o débito de 50% das férias de abril, que será quitado na próxima segunda-feira. Os outros 50% foi acordado o recebimento junto com o 13º no final do ano. O que está pendente há três meses são os direitos de imagem, que estão previstas para serem pagas no começo de julho. Fato que foi comunicado aos atletas", diz o comunicado, enviado ao Estadão.

O atleta atua pela segunda vez no Corinthians. A primeira passagem ocorreu em 2013, quando foi dispensado pelo técnico Miltinho, que morreu no ano passado, por deficiência técnica, algo que o atleta de 30 anos contesta até hoje. "Foi uma coisa que mexeu comigo, porque não acredito que tenha sido dispensa técnica. Mesmo porque, no mês seguinte, fui convocado para a seleção. Carreguei isso sempre comigo e acabou que me motivava quando lembrava do fato", comentou.

O Corinthians tem sofrido nos últimos meses com dívidas antigas, processos e salários atrasados. Recentemente, o clube chegou a completar três meses de salários atrasados para os atletas do time profissional de futebol de campo, mas houve um acordo para evitar que eles entrassem na Justiça e rompessem seu contratos. 

Além da grave situação financeira, o clube também precisa superar a pandemia do novo coronavírus. O Corinthians anunciou que 21  jogadores do grupo profissional foram infectados pela covid-19. Desses, 13 já se recuperaram, enquanto outros oito estão afastados em quarentena. Até o presidente Andrés Sanchez foi vítima do vírus, mas já está recuperado. 

Tudo o que sabemos sobre:
Corinthiansfutsal [futebol de salão]

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.