Corinthians passeia no Pacaembu e é líder

Liedson brilha mais uma vez e marca dois gols na vitória sobre o Prudente. Hoje, seca o Palmeiras para seguir na ponta

Bruno Deiro, O Estado de S.Paulo

27 de fevereiro de 2011 | 00h00

O Corinthians encontrou em Liedson um verdadeiro matador, que parece ter um faro especial jogando no Pacaembu. Em 18 partidas no estádio (somando a passagem de 2003), o atacante fez 20 gols. Ontem, marcou dois na goleada por 4 a 0 sobre o Grêmio Prudente, em uma das melhores atuações do time de Tite na temporada. Com 22 pontos, a equipe corintiana assumiu a ponta temporária do Paulista e jogou a pressão para o Palmeiras (20), que hoje encara o São Paulo no Morumbi.

Neste retorno ao Corinthians, Liedson já conquistou a torcida. Em cinco partidas, chegou a 7 gols e encostou no santista Elano (8), artilheiro do Estadual. Mesmo feliz, deixou o campo lamentando uma chance desperdiçada pouco antes do intervalo. "Podia ser melhor, perdi a chance de frente com o goleiro. Mas fiz outro ao errar o chute no segundo tempo, então está bom", disse ele. "Estamos de parabéns pela entrega, mesmo com 3 a 0 (no primeiro tempo) seguimos jogando sério. Estamos no caminho certo."

Invicto no Estadual, o Corinthians de Tite parece, enfim, ter embalado na temporada. Após bater o Santos no clássico, despachou o Grêmio Prudente logo no primeiro tempo, com gols de Fábio Santos, Liedson e Dentinho. Na etapa final, diminuiu o ritmo e perdeu a chance de uma goleada maior. A crise decorrente da queda precoce na Libertadores e a decepção pela aposentadoria de Ronaldo, aos poucos, têm ficado para trás. "Conseguimos outra vez repetir a equipe e estamos reconstruindo o trabalho" afirmou Tite.

Início arrasador. Contra o lanterna do Estadual, a equipe do Parque São Jorge se impôs desde o primeiro minuto, mostrando a velocidade e a marcação que a torcida tem exigido desde o início do ano. Aos 11, Paulinho foi lançado pela direita, invadiu a área e foi derrubado por Nino. Fábio Santos, que havia marcados dois contra o Santos, bateu o pênalti com força no canto esquerdo e abriu o placar.

O Corinthians seguiu no ataque e, aos 19, ampliou. Liedson surgiu por trás da zaga, venceu os rivais na velocidade e, pressionado, deu belo toque para encobrir o goleiro - gol semelhante ao que marcou contra o Santos.

A vantagem não diminuiu o ímpeto corintiano, que seguiu firme na marcação para chegar rápido à frente. Dentinho, que não marcava havia oito jogos, encerrou o jejum em grande estilo. Aos 28, recebeu cruzamento de Moraes na marca do pênalti, deixou a bola pingar e acertou um forte chute no alto. "É sempre bom balançar as redes. Dedico esse gol ao Ronaldo e a toda minha família", disse o atacante.

Antes do intervalo, Paulinho ainda chutou uma bola na trave do Prudente e Liedson perdeu gol cara a cara com Márcio, que fez grande defesa.

Depois do intervalo, o Corinthians desacelerou e deixou de atuar no campo do Prudente. Júlio César, que até então não havia tido trabalho, foi obrigado a fazer algumas defesas. Mesmo assim, o time de Tite não chegou a ser pressionado.

O técnico aproveitou a tranquilidade para tirar Morais, que outra vez teve boa atuação, e testar jogadores como Luis Ramírez e Edno. Ainda colocou em campo o ex-titular Bruno César, que soube usar a oportunidade. Aos 42, viu Liedson entrar pelo meio da zaga rival e fez ótimo lançamento por elevação. De frente com Márcio, o atacante errou o arremate na saída do goleiro, mas a bola sobrou outra vez limpa para o camisa 9 empurrar para a rede e definir o placar.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.