Corinthians perde caminho do gol

Time de Mano Menezes empata por 0 a 0 com o Mirassol e completa o terceiro jogo seguido sem marcar

Martín Fernandez, O Estadao de S.Paulo

03 de fevereiro de 2008 | 00h00

Mano Menezes bem que tentou. Mas os atacantes do Corinthians ainda não acordaram em 2008. Ontem, o time apenas empatou por 0 a 0 com o Mirassol, no Morumbi. Foi o terceiro jogo seguido em que o time não fez gols - e também não levou -, apesar das mudanças promovidas pelo treinador. "Isso não pode mais acontecer", resumiu o volante Bruno Octávio ao fim da partida. "No ano passado tivemos muitos empates e todo mundo sabe no que deu."Ontem, o pouco produtivo Finazzi (dois gols no primeiro jogo na temporada e só) deu lugar ao nada produtivo Lima, que não atuava havia 14 meses e mal tocou na bola nos 45 minutos que jogou contra o Mirassol. Acosta continua apenas uma sombra do que foi em 2007, jogando pelo Náutico. Com exceção do gol de calcanhar contra o Paulista, nada fez ainda.Mais uma vez, quem se destacou foi Dentinho. O moleque de 19 anos deu meia-lua, chapéu, apanhou dos adversários e criou as melhores chances de gol para o Corinthians. Aos 24 minutos, tabelou com Coelho, invadiu a área pela direita e tocou por cima do goleiro. Fez tudo certo, mas o zagueiro Bruno Aguiar, em cima da linha, evitou o gol corintiano. Um minuto depois, repetiu a jogada, mas em parceria com Alessandro.Sem a movimentação de Acosta e Lima, o Corinthians ficou capenga no primeiro tempo. Como o próprio Mano reconheceu no intervalo, André Santos ficou isolado na esquerda. Todos os ataques foram pelo outro lado, onde Dentinho tinha o apoio de Coelho e Alessandro.A imobilidade do ataque irritou o volante Fabinho. "Está faltando solidariedade e movimentação", chiou. "E o ataque tem que segurar um pouquinho a bola para a gente respirar lá atrás." Exagero de Fabinho: com exceção de escassos cruzamentos e um chute cruzado de Fabiano Souza, a bola mal chegou à área corintiana.Insatisfeito com o que viu, Mano Menezes mudou de novo. Sacou Lima para a entrada de Herrera e mandou Dentinho cair pela esquerda, justamente para compensar a falta de opções por aquele lado. O argentino, que no ano passado ganhou o auto-explicativo apelido de "quase-gol", justificou a fama. E Dentinho não tocou na bola ao jogar pela esquerda. Teve que sair aos 15 minutos, com dores no ombro. Foi substituído por Lulinha - que segue sem marcar um gol como profissional.Depois da saída de seu melhor jogador, o Corinthians parou. Mano ainda trocou Coelho por Everton Ribeiro, mas de nada adiantou. O time ficou bagunçado, com cada jogador tentando resolver sozinho. Só a cinco minutos do fim, depois de testar a paciência da torcida por quase todo o jogo, o Corinthians fez o goleiro Alexandre Fávaro trabalhar. Dois chutes de Acosta e outros de Lulinha quase definiram a partida.Mas o Corinthians-2008, que pelo menos não dá sustos no torcedor, está brigado com o gol. Após empatar por 0 a 0 com São Paulo e Sertãozinho, mais uma vez o time de Mano Menezes deixa o campo sem balançar a rede adversária. Problema a ser resolvido até quarta-feira, quando pega o Barueri.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.