Corinthians se conforma com assédio do mercado

Após a venda de André Santos e Cristian para o Fenerbahçe, outros titulares devem sair

Fábio Hecico, O Estadao de S.Paulo

22 de julho de 2009 | 00h00

O torcedor do Corinthians torceu o nariz, ao saber da saída de Cristian e André Santos para o Fenerbahçe, da Turquia. Mas pode preparar mais careta de contrariedade. Se prevalecerem os prognósticos recentes dos dirigentes, o atual campeão paulista e da Copa do Brasil tende a sofrer novas baixas nas próximas semanas. A culpa varia da força dos europeus à suposta necessidade de o clube fazer caixa e ao desejo de os investidores obterem lucro. "Por enquanto, não tem proposta por mais ninguém, mas ainda vai sair gente, sim", revela um dos aliados do presidente Andrés Sanches.A lista de atletas que teoricamente interessam ao mercado incluiria Felipe, Chicão, Elias, Douglas e Dentinho. Proposta real, porém, só por Marcelo Oliveira, por quem o Dínamo de Kiev estaria disposto a pagar o equivalente a R$ 4,75 millhões, segundo o diretor de futebol Mário Gobbi. "A janela de transferências só fecha no dia 31 de agosto e até lá muita coisa pode acontecer", imagina o dirigente, que não descarta a possibilidade de negociações velozes como as de anteontem.Sanches havia dito, após a conquista da Copa do Brasil, que não garantia a permanência de ninguém. Calculava duas ou três baixas. Agora trabalha com "prejuízo" maior. A justificativa está na distribuição dos valores econômicos de peças importantes do elenco. O raciocínio da cartolagem é básico: o Corinthians precisa de dinheiro, mas não se beneficia com todas as vendas, pois em vários casos tem participação baixa (ou quase nula). Os parceiros, os "investidores" é que ficam com a parte do leão. Elias é um exemplo: se sair, como se cogita, o clube leva 20% de bonificação, conforme acordo com os donos do volante. O jogador repete o discurso de que está bem e não pretende deixar o Parque São Jorge.LÁGRIMASJuras de amor ao clube também faziam parte do repertório de Cristian e André Santos. Entretanto, ontem a dupla se despediu dos companheiros e já se prepara para a aventura no trepidante futebol turco. Na entrevista de saideira não faltaram justificativas, lágrimas e promessas de retorno. "Não quero dizer que fomos mercenários, estávamos felizes demais no Corinthians, mas é uma oportunidade única", afirmou André Santos. Tão logo voltou da África do Sul, o lateral havia dado indícios de que não desarrumaria as malas ao convocar a imprensa, em Florianópolis, e falar que iria embora se fosse para um grande clube. Parece que achou. "O Fenerbahçe é o maior clube da Turquia."Cristian foi mais emotivo, soluçou, agradeceu a muitas pessoas do clube, entre elas o técnico Mano Menezes, e saiu de cena com uma clássica promessa: "Vou sentir falta do Corinthians, da torcida maravilhosa. Mas um dia volto."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.