Werther Santana/AE
Werther Santana/AE

Corinthians tenta 2º semestre melhor

Equipe, pressionada por uma boa competição após vexames seguidos no início da temporada,[br]visita o Grêmio, no Sul

Fábio Hecico, O Estado de S.Paulo

22 de maio de 2011 | 00h00

Sob pressão. Assim, o Corinthians estreia no Campeonato Brasileiro, sua última competição na temporada. Depois de vexame na pré-Libertadores e derrota na final do Paulista, a equipe dirigida por Tite entra em campo com obrigação de bom papel.

Tite não conseguiu ser campeão no ano passado e, desta vez, não tem a desculpa de pegar um trabalho em andamento.

O goleiro Júlio César estará sob a mira da torcida e muitos dos jogadores em campo esta tarde terão de mostrar trabalho para seguir no grupo, já que a reformulação ainda está longe de terminar.

"A torcida e nós queremos muito um título. Estamos entrando no Brasileiro para vencer. Pela camisa que o Corinthians tem, precisa estar no topo. A gente sabe da cobrança do torcedor, mas o apoio deles também será muito importante", afirma o zagueiro Leandro Castán, um dos que entram em campo ciente da procura do clube por um jogador para a posição.

"Não posso me preocupar com isso. Tenho apenas de fazer meu papel, pois desde o início do ano escuto que um zagueiro vai vir", afirma, confiante, Castán.

Desde a implantação dos pontos corridos, em 2003, o Corinthians ganhou apenas uma vez do Grêmio no Olímpico, no ano passado (2 a 1). Mesmo assim, o pragmático e remendado Corinthians fala em ganhar no Sul.

"Nosso segundo semestre tem de ser melhor do que o primeiro", diz o lateral-esquerdo Fábio Santos, que jogava no rival em 2010. "Sei bem como o Grêmio joga lá, como faz valer a força de sua torcida. Será uma experiência diferente, pois fiz muitos amigos lá. Mas espero deixá-los mais tristes (perderam o Gaúcho)", diz. "Temos de dar uma arrancada nesse início de competição para passar tranquilidade a quem está chegando. Desta forma, na hora que eles entrarem, não vão sofrer pressão."

Tite, depois de três decepções em seis meses de Corinthians, sabe que precisa colocar a equipe entre as melhores. E Júlio César entra com missão de resgatar a torcida após falhas em jogos decisivos.

"Ele estava muito triste (na volta da Vila Belmiro), porém, estamos dando força. Quando estávamos num momento difícil, o Júlio passava segurança pra gente e, com certeza, vai dar a volta por cima", espera Castán, lembrando de jogos complicados, como diante do Palmeiras, no 1.º turno do Paulista, quando o goleiro fez várias defesas difíceis.

A pressão não se limita aos defensores e pode até modificar o ataque. Ontem, Tite testou Willian no lugar de Jorge Henrique para fazer dupla com Liedson. Mas o técnico deve mesmo ter de mudar o meio: Morais sentiu uma indisposição (está com virose) e não treinou ontem. Se não se recuperar, deve ser substituído por Danilo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.