Corinthians tenta não se afastar dos primeiros lugares

Na luta para retornar ao G-4, Tite escala o que tem de melhor contra o Coritiba, que não vai contar com o meia Alex

VÍTOR MARQUES, O Estado de S.Paulo

18 de agosto de 2013 | 02h07

Ainda é cedo para poupar jogadores para a Copa do Brasil e o técnico Tite decidiu escalar o que tem de melhor hoje, às 16h, contra o Coritiba, no Pacaembu.

Após o empate sem gols contra o Fluminense, o time saiu do G-4. Tem 22 pontos e está a dois do Coxa, 24, que não terá Alex. "Força total para domingo (hoje), depois a gente pensa na quarta", disse Tite, que se reuniu com a diretoria para traçar o planejamento a partir da semana que vem, quando o time estreia na Copa do Brasil contra o Luverdense no Mato Grosso.

"Nós vamos priorizar as duas competições", afirmou o diretor de futebol Roberto de Andrade. No final da tarde de amanhã, o time já viaja para enfrentar o adversário do primeiro mata-mata, nas oitavas de final.

Tite considera que disputar uma competição como a Copa do Brasil no meio do Campeonato Brasileiro atrapalha. "A Recopa atrapalhou, mas trouxe um título. Tem o ônus e o bônus", afirmou o técnico. Mas, por enquanto, Tite sabe que o Luverdense, que está na Série C, não é um rival que lhe inspira medo.

Pelo menos não tanto quanto o perigoso Coritiba, que vem fazendo boa campanha no Brasileiro. E o que Tite precisa mesmo ganhar é hoje. Como vários times estão embolados, vencer o Coritiba significa voltar a brigar pelo topo da tabela.

Em razão desse "jogo de seis pontos", Tite só deve "poupar" um atleta na partida de hoje, o peruano Guerrero, que foi até a Coreia do Sul defender sua seleção em amistoso e regressou ao clube na sexta-feira à tarde.

Tite manteve o mistério até o treino de ontem, quando decidiu escalar Pato, dando mais uma chance a ele como titular. Romarinho perdeu lugar no time para Renato Augusto.

No meio de campo, Ibson ganha posição que era de Guilherme, que ficará até dois meses afastado - ele sofreu uma grave lesão muscular contra o Fluminense. Ao colocar Ibson, para que o time não passe a ficar mais exposto, Edenílson vai ter de conter seu ímpeto e ir menos ao ataque, para que o lado direito da defesa não fique descoberto.

Tite não abre mão de ter uma defesa sólida. O que ele pediu aos jogadores é melhorar o aproveitamento ofensivo.

Um dos motivos de o Corinthians sofrer em várias partidas é a apatia do trio de ataque, que marcou só 13 gols. Isso reforça a tese de que, antes de pensar em poupar atletas no Brasileiro, Tite precisa fazer que esse time deslanche na competição.

Desfalques. No Coritiba, o técnico Marquinhos Santos terá desfalques importantes. Além de Alex, Deivid, Geraldo, Willian, e Iberbia, o meia Lincoln e o volante Sergio Manoel são dúvidas. Em compensação, o meia Junior Urso está de volta.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.