Corinthians tenta se aproximar da zona de segurança

Equipe está a 10 dos 45 pontos desejados por Tite para fugir do rebaixamento e poder dar descanso aos titulares

CIRO CAMPOS , O Estado de S.Paulo

23 de setembro de 2012 | 03h10

A meta do Corinthians neste Brasileiro já foi estabelecida e é chegar aos 45 pontos, número considerado pelo técnico Tite a 'zona de segurança' para se ver livre da ameaça do rebaixamento e garantir a folga aos titulares antes da disputa do Mundial de Clubes. Restam dez pontos para isso e a receita para o jogo de hoje, às 16 horas, contra o Botafogo é usar o embalo adquirido após a vitória no clássico contra o Palmeiras para garantir uma espécie de revanche no Engenhão.

Para o jogo de hoje as novidades devem ser as entradas de Guilherme Andrade, improvisado na lateral-esquerda, e de Jorge Henrique no meio. Os dois substituem os suspensos Fábio Santos e Danilo.

Foi justamente a equipe carioca que carimbou a faixa de campeão da Libertadores e desencadeou na ocasião uma bronca coletiva no elenco. Naquele 11 de julho o Corinthians voltou a atuar exatamente uma semana após a conquista inédita. Ainda em clima de festa e no mesmo palco do título, o Pacaembu, o time foi facilmente dominado e perdeu por 3 a 1.

O tal 'apagão' sofrido naquela noite rendeu uma lição importante. "Talvez aquele jogo tenha sido um dos meus momentos mais importantes no Corinthians. A 'boleirada' tomou um 'chega pra lá' depois da derrota", contou Tite.

Reação. Se a ideia da repreensão era evitar o deslumbramento e acomodação pós-título, deu certo. Na época o Corinthians estava nas últimas posições do Brasileiro e hoje está entre os dez primeiros colocados.

"Nossa prioridade agora é a zona de segurança. Se alcançarmos rápido esses pontos, o departamento de fisiologia vai mapear os jogadores que estão mais desgastados e vamos decidir quem devemos poupar", disse Tite.

"A partida com o Botafogo foi a minha pior com a camisa do Corinthians. A equipe deixou de fazer um bom jogo. Todos tem que pensar nisso para jogar bem dessa vez", disse Paulinho, um dos jogadores a ganhar descanso assim que os 45 pontos forem atingidos.

Uma vitória hoje encaminha essa busca e de quebra, ajuda no planejamento do clube do ano. Em 2012 o Corinthians ainda não perdeu no Engenhão e busca manter o bom retrospecto. "Vamos lá para recuperar os pontos que a gente perdeu para o Botafogo aqui no Pacaembu", disse o goleiro Cássio. Depois da partida de hoje, o time recebe o Sport, equipe que luta contra o rebaixamento.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.