Corinthians 'testa' Adriano e vence

Atacante tem atuação discreta, mas fica em campo por 65 minutos na vitória, por 1 a 0, sobre o São Caetano, no ABC, que manteve time na vice-liderança

PAULO GALDIERI, O Estado de S.Paulo

19 de fevereiro de 2012 | 03h03

O Corinthians conseguiu, em uma única tarde, atingir alguns objetivos que, ao longo deste Paulista -e até mesmo para o restante da temporada - podem ser importantes: descansou titulares, testou reservas, deu ritmo de jogo a Douglas e Adriano, que pela segunda vez entraram em campo neste ano. E, de quebra, ainda venceu o São Caetano, fora de casa, e voltou à vice-liderança do Estadual.

Sem muita inspiração, a equipe toda formada por jogadores reservas, atuou para o gasto e venceu por 1 a 0 no ABC paulista.

Mas, para além do resultado e dos três pontos mais recentes agregados à sua campanha no Paulista, o Corinthians teve a oportunidade de ver em campo um Adriano mais magro do que aquele que fez o gol da crucial virada contra o Atlético-MG, ano passado, no Brasileiro.

Com mais disposição e menos lastro, o Imperador arriscou até alguns piques, divididas mais fortes, disputas de bola pelo alto no meio da zaga. Mas ainda mostrou que vai precisar mais algumas "internações" no CT do Corinthians antes de poder decretar uma eventual volta triunfal aos melhores dias.

Mas o que o atacante, camisa 10 às costas, jogou parece ter sido o suficiente para renovar a esperança da torcida em ver o velho Imperador de volta. Ele saiu de campo aplaudido pelos pouco mais de 5 mil torcedores que se dispuseram a ir ao combalido Anacleto Campanella -assim como o Imperador, o estádio municipal também já teve seus dias de glória, mas que agora estão no passado cada vez mais distante.

Se Adriano mostrou que ainda vai precisar de um tempo para voltar a brigar para ser titular, Douglas deixou no ar a impressão de que vai precisar de bem menos do que o companheiro para ser escalado desde o início nos principais jogos.

O meia que se tornou ídolo corintiano e disse ter voltado para "casa" ao ser recontratado pelo Corinthians não repetiu suas melhores atuações, mas já deu o gostinho aos corintianos de que isso poderá acontecer em breve.

Foi dele o passe para o único gol do jogo. Preciso, rasteiro, aproveitando vacilo da defesa do São Caetano, o toque do meia, que agora é o camisa 15, mas que atua como um clássico 10, encontrou Willian dentro da área. O atacante, assim como Adriano já fez muitas vezes em seus dias de auge, não desperdiçou e mandou para a rede.

Embora não tenha conseguido, de uma forma geral, apresentar um grande desempenho, o Corinthians teve o mérito de vencer fora de casa mesmo sem ter em campo seus principais jogadores. Um triunfo que no fim da fase de classificação pode ser fundamental para definir a posição da equipe.

O gol de Willian foi, também, um gol do técnico Tite, que optou pelo descanso dos titulares e ainda assim saiu com a vitória.

Tite, aliás, que se emocionou ao voltar a São Caetano e lembrar de Serginho - ele era o técnico do time quando o volante morreu tragicamente em campo, há sete anos. Ontem, porém, o dia fora para Tite terminar com um sorriso de dever cumprido.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.