Corinthians vai ficar feliz se empatar no Serra Dourada

Mano Menezes prega respeito ao Goiás e diz que um ponto conquistado fora será essencial para obter a vaga às quartas-de-final, dia 30, em casa

Fábio Hecico, O Estadao de S.Paulo

16 de abril de 2008 | 00h00

A torcida do Corinthians dividiu as arquibancadas do Serra Dourada em 2005, quando o time sagrou-se campeão brasileiro (mesmo com derrota por 3 a 2). Este ano, nos 6 a 0 sobre o Barras-PI, no mesmo palco - estréia na Copa do Brasil -, teve apoio total. Hoje, às 21h50, diante do Goiás, os donos da casa, a equipe paulista também deve ter grande incentivo de seus fiéis torcedores. Mas nada de festa. A ordem do técnico Mano Menezes é evitar o entusiasmo, se precaver, e levar pelo menos um ponto para São Paulo, onde a vaga às quartas-de-final será definida, no próximo dia 30. Todos os lances do jogo online''Em mata-matas, é bom decidir em casa. Mas desde que o time não traga um resultado tão ruim do duelo de ida'', observa o treinador corintiano, sem esconder a preocupação. ''Estamos com 100% de aproveitamento, só que uma hora vamos deixar escapar alguns pontos'', diz. ''Temos de ficar atentos, pois uma derrota pode nos eliminar'', enfatiza.Mano Menezes afirma ser mais justo as competições por pontos corridos. E usa exemplos de diversos times de menor expressão que se dão bem em competições de mata-matas, para mostrar a seus atletas que camisa ''há muito tempo não ganha jogo.''Atualmente, Mano aponta a decisão da Copa da Inglaterra, entre os galeses do Cardiff e os ingleses do Portsmouth, para alertar o time sobre os perigos.Nada de subestimar o Goiás. Semana passada os jogadores do Corinthians diziam ser ''obrigação'' a conquista da Copa do Brasil - para apagar a eliminação do Paulista - e já falavam em ir à Libertadores de 2009.Mano não aceita excesso de confiança. Mesmo com o apoio dos mais de 300 torcedores presentes ao último treino da equipe, ontem, no Estádio Onésio Brasileiro Alvarenga, do Vila Nova, arqui-rival do Goiás.O trabalho foi dedicado a passes, cruzamentos e, principalmente, finalizações. No Brasileiro de 2007 (1 a 1) o time desperdiçou muitas chances de gols num duelo que podia tê-lo livrado do rebaixamento. Não quer repetir os erros esta noite.A ordem para os atacantes Herrera e Dentinho - três gols na competição - é não desperdiçar as poucas oportunidades que devem ter. Ciente do peso de marcar gols fora de casa, Mano vai apostar nos contragolpes para pelos menos marcar uma vez no Serra Dourada.E Dentinho tem boas recordações do local. Seus três gols foram no palco do jogo de hoje à noite: diante do frágil Barras. Ele havia prometido de presente de aniversário à sua mãe.O atacante foi um dos ovacionados ontem - o reserva Finazzi foi outro a ter o nome gritado com bastante empolgação - e viu a festa preparada pelos goianos. Cada gol no rachão era comemorado como um título.Apesar de falar a semana inteira que não pensa em vingança diante do Goiás (com quem lutou contra o rebaixamento ano passado), os corintianos estão loucos para derrubar os goianos. A rivalidade está acirrada e cresceu após as declarações de Hailé Pinheiro, presidente do Conselho Deliberativo do Goiás, que disse que vai ''chupar uva'', alusão ao uniforme roxo do Corinthians.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.