Luiz Augusto Jr./Fotoarena
Luiz Augusto Jr./Fotoarena

Corinthians vai testar peruano na armação

No jogo de domingo contra o São Bernardo, Tite escala Luis Ramírez, recém-contratado, para criar as jogadas do time

Bruno Deiro, O Estado de S.Paulo

29 de janeiro de 2011 | 00h00

O Corinthians de Tite não fez rodízio no início da temporada e teve seus titulares definidos desde a estreia. O tropeço no Pacaembu diante do Tolima (empate sem gols) pela pré-Libertadores, no entanto, obrigou o técnico a retomar as experiências que marcaram o trabalho de Mano Menezes antes da Libertadores do ano passado. Nesta sexta-feira, Tite admitiu que quem se sair bem no jogo de domingo contra o São Bernardo, pelo Estadual, poderá ganhar chance na Colômbia.

Armadores, especialmente, como Danilo, Morais e até o recém-chegado Luis Ramírez, serão observados. Na sexta, o peruano treinou entre os titulares e deve iniciar a partida no ABC. Tite, porém, negou que ele possa ser a salvação para a falta de criatividade no meio-campo corintiano. "Vamos esperar que o jogo mostre, para que a gente não se precipite. Mas temos de compreender que ele precisa de adaptação, e isso não vai ser num jogo."

Em meio à tensão pelo duelo de volta da pré-Libertadores, quarta-feira, na Colômbia, o treinador deu folga aos titulares nesta sexta e treinou exaustivamente o ataque reserva, de olho em novas possibilidades. "A oportunidade vai surgir pra todos, o desempenho é que vai fazer entrar na equipe", disse ele. "O jogo de domingo pode dar alguma referência, e eu respondo sobre isso (alteração no time titular) domingo, depois do jogo."

Além de Ramírez, o time deve ter a estreia do lateral-esquerdo Fábio Santos, ex-Grêmio, e do zagueiro Wallace, que veio do Vitória. Apenas o goleiro Júlio César participou normalmente da atividade e foi confirmado para a partida pelo Paulistão. "Para goleiro, jogar é fundamental. É preciso ter sequência", justificou Tite.

Decepções. Um dos motivos para a busca de alternativas do elenco é o fracasso na estratégia de dividir a função de criação entre Jucilei e Bruno César. Desde a saída de Douglas, em julho de 2009, o clube procura um substituto que atue como um legítimo camisa 10. A ausência vinha sendo suprida com as boas chegadas de Elias ao ataque.

"Nós não temos um meia armador, isto nos descaraterizou em relação ao time que tinha Douglas. Estamos procurando este ponto de equilíbrio, e encontrar isto é o desafio da equipe", afirmou Tite, que evitou comentar o desempenho de Jucilei e Bruno César. "Não quero individualizar esta situação."

No primeiro jogo da equipe com os reservas, Tite diz que a importância de um bom desempenho pelo Estadual não foi diminuída. "Desde o início coloquei o Corinthians (mais forte) para entrar em campo e dar prioridade aos dois (Estadual e Libertadores), mas claro que quarta é mais importante."

Veja também:

linkCorinthians só terá o goleiro titular

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.