Corinthians vê Blatter 'despistar' sobre a abertura da Copa

'Já está tudo certo (de ser em Itaquera). Fiquem tranquilos', afirmou o presidente Andrés Sanchez

Jamil Chade e Wagner Vilaron, O Estado de S.Paulo

29 de agosto de 2011 | 00h00

SÃO PAULO - A diretoria do Corinthians reagiu com tranquilidade diante da declaração do presidente da Fifa, Joseph Blatter. Em entrevista exclusiva ao Estado, o suíço afirmou que o Rio de Janeiro é a cidade mais adequada para receber a partida de abertura da Copa do Mundo de 2014, o que deixou muita gente ligada ao Comitê Organizador paulista preocupada.

Para o presidente do Corinthians, Andrés Sanchez, a questão sobre o palco da abertura não está mais em discussão. "Já está tudo certo (de ser em Itaquera). Fiquem tranquilos", afirmou o dirigente alvinegro, que evitou polemizar com Blatter.

Parceiros de Sanchez no projeto da arena corintiana identificam apenas uma explicação para a afirmação de Blatter: um conflito de vaidade com o presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Ricardo Teixeira. Para esse grupo, a Fifa quer ser a autora do anúncio oficial da sede do primeiro jogo e não aceita antecipações da CBF. Este seria o motivo de a oficialização ter ficado para outubro.

Surpresa. Quem também estranhou as palavras do presidente da Fifa foi o secretário-geral da entidade, Jérome Valcke. O dirigente voltou a dizer, assim como fez quando estava no Brasil para o sorteio das Eliminatórias, que a ideia é de que tanto o Congresso da Fifa, em 2014, quanto o jogo de abertura do Mundial, de fato, ocorram em São Paulo.

As afirmações de Blatter também vão de encontro ao relatado pelos inspetores da Fifa que vistoriaram as obras do Itaquerão durante a última semana. Além de elogiarem o andamento da construção, lembraram também que a infraestrutura de transporte, hospitais, hotéis, aeroportos e entretenimento de São Paulo é invejável, especialmente para a cidade que abrigará a abertura.

Veja também:

link'A cidade mais adequada para receber a abertura é o Rio', diz Blatter

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.