Sérgio Roberto/Futurapress
Sérgio Roberto/Futurapress

Corinthians vira com cara de campeão

Sem convencer nas últimas seis rodadas, time de Tite leva dois gols do Atlético-MG no primeiro tempo, vai para cima e fecha com 3 a 2. Líder sim senhor!

Giuliander Carpes, O Estado de S.Paulo

18 de agosto de 2011 | 00h00

Tite disse que o Corinthians criou um monstro no início do Campeonato Brasileiro, quando chegou a ter 93% de aproveitamento. A torcida alvinegra ontem viu um sinal da tal criatura no Ipatingão. Na raça, a partir da entrada de Emerson no segundo tempo, a equipe bateu o Atlético-MG de virada por 3 a 2 após sair perdendo por 2 a 0.

O "monstruoso" time que fez 28 pontos nas primeiras 10 rodadas não havia assustado mais ninguém - apenas o torcedor corintiano, na verdade. Marcara apenas seis pontos nas últimas seis rodadas. E, pelo primeiro tempo atrapalhado de ontem, parecia que seguiria a derrocada.

Na etapa inicial, o Corinthians falhou na defesa e no meio-campo - só não pecou no ataque porque a bola mal chegou lá na frente. Os dois meias que Tite insiste em tentar colocar para atuar juntos não funcionavam na mesma frequência. Enquanto Danilo tentava passes curtos, Alex preferia os lançamentos.

A defesa se ressentiu de Chicão e o desentrosamento de Wallace e Leandro Castán pesou muito no resultado da primeira etapa. No primeiro gol do time mineiro, dois jogadores do Atlético-MG cabecearam livres na área após uma cobrança de escanteio. Réver ajeitou para Dudu Cearense marcar. Welder fez participação especial ao dar condições legais para o autor do gol.

Jorge Henrique piorou a situação ao puxar Réver na área e cometer pênalti bobo. Guilherme cobrou com responsabilidade aos 27 minutos.

O primeiro tempo foi do Atlético-MG. O segundo, totalmente do Corinthians. Tite ousou. Colocou Emerson no lugar de Alessandro e, quem diria, o atacante acendeu o jogo. Foi dele o primeiro gol corintiano e também a jogada do segundo - ia marcar, mas sofreu pênalti de Réver, que foi expulso. Alex cobrou com perfeição aos 8 minutos.

Sobrou muito tempo para a virada. Principalmente porque quando o fantasma do rebaixamento assombra certas equipes, elas se retraem no seu canto e de lá não saem. A posse de bola corintiana beirou os 70%. E com a redonda nos pés, fica mais fácil.

A bola finalmente chegou ao ataque com mais frequência. E encontrou Liedson, que iniciou seu primeiro jogo como titular desde lesão no joelho. Ele marcou o gol decisivo. Alex ainda errou um pênalti. Mas tudo bem. O Corinthians segue na liderança.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.