Marcos de Paula/AE
Marcos de Paula/AE

Corintianos dedicam vitória à torcida

Ao final do jogo, no Rio, jogadores afirmam que nada foi ganho ainda e agradecem o apoio dos torcedores

Bruno Lousada, Fábio Hecico, O Estado de S.Paulo

16 de setembro de 2010 | 00h00

Derrubar a invencibilidade do líder no Rio - e agora dividir a ponta da tabela com os mesmos 41 pontos do Fluminense - é motivo de festa para o Corinthians. Mas os jogadores deixaram o campo do Engenhão com um discurso de humildade: o famoso "não ganhamos nada ainda." O bom triunfo foi dedicado à torcida, que vem lotando o Pacaembu e apoiando em massa também fora de casa. Ontem, todos foram para as arquibancadas, jogar as camisas aos torcedores.

Veja também:

linkWilliam e Jucilei desfalcam Corinthians no sábado

linkCorinthians vence e iguala em pontos com Fluminense na liderança

linkAdílson elogia atuação do Corinthians no Engenhão

linkCorintiano William minimiza disputa pela liderança

SÉRIE A - tabelaClassificação | listaCalendário/Resultados

som GOLS (Eldorado/ESPN) - 0x1 | 0x2 | 1x2

"A torcida nos apoiou na derrota de sábado (1 a 0) e agora essa vitória é dela", afirmou o volante Elias. "A gente vinha de uma derrota e precisava ganhar fora, um resultado negativo seria ruim. Buscamos essa vitória com raça, dedicação e demos alegria a essa maravilhosa torcida", endossou o também volante Jucilei, mais uma vez destaque de uma partida. "Graças a Deus estou vivendo um bom momento, fiz belo gol e ajudei a equipe. Um resultado que era muito esperado por nós e pela torcida." A grande apresentação foi presente, também, para a avó, dona Ana Teodoro, de 81 anos, que o criou. "Vó Ana, te amo", dizia a camisa do jogador. "Ela não veio, já é de idade, mas estava assistindo de casa, dedico o gol, a vitória e a bela partida para ela."

Jogador de calmas palavras, Jucilei deu uma de capitão do time e pediu pés no chão. "Agora a gente tem de ter calma, jogamos em casa com o Prudente, depois temos um clássico difícil (contra o Santos, na Vila Belmiro). Temos de manter a mesma raça para assumir a liderança." O herói, contudo, ficará apenas na torcida, pois recebeu o terceiro cartão amarelo, assim como William.

O lateral Alessandro, que também fez boa apresentação, seguiu a linha do companheiro. "Foi muito importante, porque jogamos contra o líder do campeonato e conseguimos melhorar nosso retrospecto fora. Isso não quer dizer muita coisa, mas o caminho é esse aí."

Contrariando os companheiros, Jorge Henrique não escondia a euforia. "E ainda temos um jogo a menos. Estamos feliz pelo trabalho de hoje espero que sempre joguemos assim fora de casa", observou, já que o Alvinegro vinha sendo presa fácil longe do estádio do Pacaembu.

Só um susto. O lateral Roberto Carlos saiu de campo, substituído, mostrando a coxa direita na qual vem sentindo dores. Ontem, foi só teatro. Usou da experiência para ganhar uns segundos e depois mostrou que não há espaço para euforia no futebol. "Vamos manter os pés no chão, o time é tranquilo, de qualidade, mas pode melhorar mais. Foi apenas uma vitória e vamos levar isso para casa."

HOMENAGEM

Jucilei

Jogador do Corinthians

"Ela não veio, já é de idade. Dedico o gol para a minha avó"

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.