Coritiba quer Couto Pereira fervendo

Artilheiro da competição, atacante são-paulino enfrenta críticas da diretoria e do técnico por excesso de expulsões

O Estado de S.Paulo

20 de junho de 2012 | 03h07

Luis Fabiano já seria uma atração em qualquer partida, mas o atacante será observado ainda mais de perto no Couto Pereira após irritar a diretoria e o técnico Emerson Leão pela expulsão infantil contra o Atlético-MG.

O jogador foi multado e preocupa a cúpula pela irritação com a arbitragem nos últimos jogos; o temor é que ele seja se envolva em confusão e prejudique a equipe quando deveria ser o exemplo aos mais novos. O camisa 9 é o capitão são-paulino.

Os jogadores admitem que se preocupam com a instabilidade do companheiro, mas esperam que o surto de fúria do fim de semana não aconteça mais. "O Luis sabe da sua importância para o grupo, isso é uma fase. Ele nunca foi jogador desse tipo, temos certeza de que ele está trabalhando para melhorar", afirmou o volante Casemiro.

A preocupação faz sentido, já que os números fazem do camisa 9 a principal esperança de gols no Couto Pereira. Até aqui são 16 em 20 jogos na temporada, oito deles na Copa do Brasil, competição da qual é o artilheiro. E é o próprio artilheiro que avisa que, se quiser avançar, o time precisará balançar as redes fora de casa. "Precisamos jogar muita bola. O Coritiba vai pressionar e será fundamental fazer pelo menos mais um gol. Para conseguirmos isso, será preciso jogar mais do que fizemos no Morumbi", analisou.

Para tornar a missão menos árdua, o artilheiro terá mais uma vez o apoio de Lucas na frente. O garoto foi o herói da primeira partida ao marcar o único gol nos minutos finais, enquanto ele perdeu duas chances claras. Desta vez, Luis Fabiano espera melhor sorte. "Minha responsabilidade é a mesma sempre. Se perdi gol é porque não estava num bom dia. Prefiro perder dez gols do que não tentar. Espera-se muito de mim, espera-se gols. Se não saiu antes, com certeza pode sair no próximo", projetou. /F.F.

O Coritiba ainda não engoliu a derrota na primeira partida após dominar o adversário. Precisando de pelo menos dois gols de diferença para avançar, os jogadores acreditam no excelente retrospecto no Couto Pereira para voltar à final após o vice-campeonato no ano passado. Somadas a edição atual e anterior, são dez vitórias seguidas em casa; oito por dois ou mais gols de diferença. "Temos um retrospecto maravilhoso em casa e isso vai nos dar confiança", ponderou o técnico Marcelo Oliveira. / F.F.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.