Coritiba quer Couto Pereira fervendo Luis Fabiano pode pegar gancho de 12 jogos

Procurador do STJD, Paulo Schmitt, vai denunciar atacante que, além da suspensão, corre risco de pagar multa alta

TERCIO DAVID, O Estado de S.Paulo

20 de junho de 2012 | 03h06

As ofensas ao árbitro Elmo Alves Resende Cunha poderão custar caro a Luis Fabiano. O atacante do São Paulo poderá pegar até 12 jogos de suspensão e pagar multa de R$ 100 mil pelos palavrões ditos ao juiz, depois de ser expulso no jogo contra o Atlético-MG, no último domingo. O procurador-geral do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), Paulo Schmitt, afirmou ontem que denunciará o atacante em dois artigos.

Segundo Schmitt, o caso de Luis Fabiano se enquadra nos itens 258 (desrespeito ao árbitro) e 243 F (ofensa à honra) do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD). "A denúncia é baseada principalmente na súmula do árbitro", disse o procurador ao Estado.

Elmo Resende Cunha, árbitro da partida válida pela quinta rodada do Campeonato Brasileiro, colocou na súmula do jogo as palavras de Luis Fabiano, logo após receber cartão amarelo: "P..., marca só uma, seu m...! Tá inventando desde o início, é muito fraco". No documento também constam as ofensas do atacante ao ser expulso: "Seu f.d.p. , você é um v..., dá vontade de te meter soco na cara, vagabundo, te encher de pancada".

O artigo 258 prevê pena de um a seis jogos. O mesmo se aplica ao 243 F, mas como as ofensas foram diretamente ao trio de arbitragem, a pena mínima é de quatro partidas e multa neste caso varia de R$ 100 a R$ 100 mil.

O jogador foi multado pelo São Paulo e preocupa a cúpula do clube pela irritação com a arbitragem nos últimos jogos. O temor é que ele se envolva em confusão e prejudique a equipe quando deveria ser o exemplo aos mais novos. Ele é o capitão do time. Ontem, Luis Fabiano divulgou um vídeo para o site oficial do clube, pedindo desculpa aos torcedores pela expulsão e recentes confusões em campo.

O Coritiba ainda não engoliu a derrota na primeira partida após dominar o adversário. Precisando de pelo menos dois gols de diferença para avançar, os jogadores acreditam no excelente retrospecto no Couto Pereira para voltar à final após o vice-campeonato no ano passado. Somadas a edição atual e anterior, são dez vitórias seguidas em casa; oito por dois ou mais gols de diferença. "Temos um retrospecto maravilhoso em casa e isso vai nos dar confiança", ponderou o técnico Marcelo Oliveira. / F.F.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.