Issei Kato/Reuters
Issei Kato/Reuters

Coronavírus faz Maratona de Tóquio limitar participação a atletas de elite

Decisão vem dias depois de o governo de Tóquio ter pedido aos atletas chineses, quase 1.800 inscritos, para não participarem da corrida

Redação, Estadão Conteúdo

17 de fevereiro de 2020 | 10h26

A Maratona de Tóquio, no Japão, marcada para o dia 1.º de março, será restrita apenas a atletas da elite do atletismo. O anúncio foi feito nesta segunda-feira pela organização do evento por conta do surto do novo coronavírus, nomeado Covid-19, que atinge principalmente a Ásia. O país sede dos Jogos Olímpicos deste ano é o segundo com mais casos da doença e já registrou uma morte.

"Não podemos continuar com a realização do evento na escala originalmente antecipada", afirmou a nota oficial divulgada pela organização nesta segunda-feira. A decisão de seguir com a prova apenas com atletas da elite é porque a Maratona de Tóquio é uma etapa para a definição do time japonês na Olimpíada.

O evento, considerado um dos seis principais do mundo, tem cerca de 38.000 participantes inscritos, mas após esta decisão apenas pouco mais de 200 atletas profissionais do mais alto nível podem participar. Os inscritos nesta edição que foram impedidos de participar poderão garantir a sua presença na maratona de 2021, com detalhes a serem divulgados no dia 1.º de abril. Segundo a organização, os custos da inscrição não serão devolvidos.

A decisão ocorre alguns dias depois de o governo de Tóquio ter pedido aos atletas chineses, que são cerca de 1.800 inscritos, para não participarem da corrida como medida para conter a propagação do coronavírus. "Devido às alterações no processo de entradas no Japão, gostaríamos de pedir a todos os corredores residentes ou oriundos da China que se abstenham de participar de forma voluntária", informou a organização.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.