Corpo do americano é achado após 3 horas

A etapa dos Emirados Árabes da Copa do Mundo de Maratona Aquática foi marcada pela morte do americano Fran Crippen. Campeão nos Jogos Pan-Americanos do Rio, em 2007, o atleta desapareceu durante a prova masculina e seu corpo só foi encontrado nas águas do Mar de Omã três horas depois do encerramento da disputa. Atletas que atuariam em uma competição de 15 km no dia 27 cogitam hipótese de abrir mão da competição para evitar nova tragédia.

Valéria Zukeran, O Estado de S.Paulo

24 de outubro de 2010 | 00h00

Ana Marcela garante que Crippen estava em boa forma física. "Ele esteve no pódio nas últimas quatro etapas da Copa do Mundo. Vinha muito bem e era novo, apenas 26 anos", conta. "Não éramos muito próximos, mas sempre que nos encontrávamos mostrava alegria e conversava com todos e estava sempre disposto a trocar uma ideia."

A Federação Internacional de Natação (Fina), divulgou nota informando que as causas da morte estão sendo investigadas. Os atletas, no entanto, não têm dúvida: o culpado foi o calor, capaz de causar desidratação, mesmo com o corpo dentro d"água. Eles contam que, durante a prova, a temperatura ambiente era de, aproximadamente, 35° C e a da água do mar 33° C. "Não foi só ele (Crippen) quem passou mal. Muitos atletas de ponta também tiveram problemas", conta o brasileiro Luiz Rogério Arapiraca.

Outro brasileiro, Allan do Carmo, foi uma das vítimas. Passou mal após cruzar a linha de chegada e teve de ser hospitalizado. Foi constatado que seu nível de glicose estava baixo. Os médicos determinaram que ele passasse a noite em observação.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.