Kailash Helicopter Services / AFP
Kailash Helicopter Services / AFP

Corpos de três alpinistas franceses são encontrados na região do Everest duas semanas após avalanche

Grupo escalava o Mingbo Eiger, pico de seis mil metros, quando foram atingidos e desapareceram no dia 26 de outubro

Redação, O Estado de S.Paulo

08 de novembro de 2021 | 09h56

Os corpos de três alpinistas franceses foram encontrados nesta segunda-feira, dia 8, na região do Everest, no Nepal. As autoridades locais confirmaram se tratar de montanhistas que estavam desaparecidos desde o dia 26 de outubro, quando sumiram após serem atingidos por uma avalanche enquanto escalavam o Mingbo Eiger, pico de 6 mil metros. 

Segundo Rishi Raj Dhakal, inspetor e porta-voz da polícia distrital de Solukhumbu, na região, os corpos dos três alpinistas foram transportados pela equipe profissional de resgate da região para a cidade de Lukla, no sudeste do Nepal. 

Os corpos dos alpinistas foram encontrados perto da mesma área onde foram feitas as buscas. As vítimas foram identificadas como Louis Pachoud, Gabriel Miloche e Thomas Arfi, indicou o policial no início da manhã desta segunda. "A delegacia cumpriu com todos os trâmites legais que tem de fazer aqui", continuou o inspetor. "Os corpos serão agora transferidos para Kathmandu para autópsia", acrescentou.

Ang Norbu Sherpa, chefe da equipe de resgate, confirmou que os corpos foram encontrados na encosta da face norte do Mingmo Eiger. As investigações dão conta de que os jovens retornavam para o local de partida quando foram atingidos pela avalanche. As operações de busca, após dois dias de interrupção, foram retomadas na sexta-feira. O mau tempo na região atrapalhou as buscas pelas vítimas na semana passada e havia o receio de que os corpos estivessem soterrados sob uma enorme camada de neve.

A Federação Francesa de Clubes de Alpinismo (FFCAM, sigla em francês) divulgou anteriormente que a chance de encontrar os homens vivos era "praticamente zero".

O Nepal abriga oito dos 14 picos mais altos do mundo , atraindo alpinistas de todos o mundo. Em contrapartida, o registro de mortes na região durante a prática de montanhismo também é comumente divulgada. Em setembro, Brent Seal, um alpinista canadense de 37 anos, morreu ao tentar escalar o Monte Manaslu, oitavo pico mais alto do mundo, que também fica no país. 

Mais de 700 montanhistas estrangeiros mergulharam nas montanhas do Nepal na primavera, incluindo um recorde de 408 para o Everest, depois que a temporada foi cancelada em 2020 devido à pandemia do novo coronavírus. No entanto, a temporada foi interrompida por uma nova onda de infecções por covid-19 que afetou os acampamentos-base do Himalaia.

Tudo o que sabemos sobre:
Nepal [Ásia]Monte Everestalpinismo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.