Correção: Aiba muda e Adriana Araújo pode ir aos Jogos

A nota enviada anteriormente continha um erro no título. Segue a versão corrigida.

AE, Agência Estado

14 de março de 2013 | 17h17

Adriana Araújo entrou para a história do esporte brasileiro como a primeira mulher a conquistar uma medalha no boxe olímpico. A atleta, de 31 anos, porém, não poderia defender no Rio a medalha de bronze conquistada em Londres porque a idade limite da modalidade era 34 anos. Mas os planos da boxeadora passaram por uma grande reviravolta na última semana.

Isso porque a Aiba (Associação Internacional de Boxe Amador) alterou para 40 anos a idade máxima para os atletas disputarem os Jogos Olímpicos. Com isso, Adriana fica apta para lugar na próxima Olimpíada, no Rio de Janeiro, em 2016.

"O sonho de disputar as Olimpíadas de 2016 tinha terminado. Depois da divulgação das mudanças nos critérios, renasceu tudo novamente. O que eu mais quero na minha vida é viver esse momento de representar o Brasil nos Jogos do Rio", comemorou a pugilista.

Para Adriana, a decisão da Aiba foi acertada. "No boxe profissional, não existe limite de idade para competir. Penso que a mesma regra poderia servir para o amador. A parte física deveria ser o fator para limitar a atuação dos atletas, deixando até o momento em que o corpo aguenta competir no alto rendimento", opina ela.

Tudo o que sabemos sobre:
boxeOlimpíada

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.