Imagem Reginaldo Leme
Colunista
Reginaldo Leme
Conteúdo Exclusivo para Assinante

Corrida como diversão

Posso não ter nem Fórmula 1 nem Stock Car para acompanhar como trabalho neste fim de semana. Mas, como diversão, não vai faltar esporte a motor. Tem as "24 Horas de Le Mans", uma das corridas mais importantes do automobilismo mundial, as disputas imperdíveis das três categorias do Mundial de Moto em Barcelona, a terceira rodada da World Series e a Indy em Montreal, com a primeira participação de Nelsinho Piquet na Indy Lights.

Reginaldo Leme, O Estado de S.Paulo

13 de junho de 2015 | 02h05

É exatamante por causa de Le Mans que Nelsinho terá a chance de fazer sua primeira corrida na Indy Lights. Ele vai substituir Max Chilton, que é o quinto colocado no campeonato. É sabido que Nelsinho não rejeita convite para correr, mas jamais imaginei vê-lo na Indy Lights. Nesses primeiros quatro meses de temporada Nelsinho já disputou 11 corridas em seis categorias, desde o tradicional torneio de kart da Flórida com pilotos do mundo todo, passando pelo Rallycross, Stock Car (corrida de duplas), KartCross, Fórmula-E (é líder do campeonato) e, agora, Indy Lights.

Le Mans vive hoje e amanhã a sua 83.ª edição, na qual o Brasil será representado por Lucas di Grassi - que forma um dos trios de pilotos que vão lutar pelo pódio na categoria principal -, Pipo Derani e Fernando Rees.

A corrida conta com a participação de 165 pilotos em 55 carros. Na categoria principal, Di Grassi divide um dos três carros da Audi Sport Team Joest com o inglês Oliver Jarvis e o francês Loic Duval, que escapou milagrosamente de um terrível acidente na prova do ano passado. O trio larga em quarto este ano, à frente dos outros dois carros da Audi.

A pole e as outras duas primeiras posições são da Porsche. O suíço Neel Jani, o francês Romain Dumas e o alemão Marc Lieb estão na pole position, com os outros dois Porsche 919 Hybrid, que têm os experientes Mark Webber e Nico Hulkenberg ao volante, largando em segundo e terceiro .

Os outros dois brasileiros largam na pole position em suas classes, Pipo Derani divide um Ligier/Nissan com o mexicano Ricardo Gonzales e o colombiano Gustavo Yacaman. Além de ser a estreia de Pipo em Le Mans, ele defende a liderança da classe LPM2, depois de dois pódios nas duas primeiras etapas do campeonato. E o também brasileiro Fernando Rees é pole na classe GTE Pro, dividindo um Aston Martin com o inglês Alex Macdowell e o neozelandês Richie Stanaway.

Além de Le Mans, tem brasileiro correndo também na World Series Renault 3.5, que terá rodada dupla na pista de Hungaroring. Bruno Bonifácio e Pietro Fantin defendem a equipe Draco, que pertence ao também brasileiro Guto Negrão.

Para quem gosta de velocidade e disputas apertadas, o maior espetáculo é mesmo o das duas rodas. O Mundial de Moto chega à Catalunha. As provas das categorias Moto3, Moto2 e MotoGP são marcadas por um extraordinário equilíbrio, e um destaque deste ano tem sido a volta de Valentino Rossi, atual líder do campeonato, seis pontos à frente de Jorge Lorenzo. Entre os cinco primeiros estão, na sequência, Andrea Dovizioso, Andrea Iannone e Marc Marquez. Na Moto2, os quatro primeiros são Johann Zarco, Tito Rabat, Thomas Luthi e Sam Lowes, mas há pelo menos dez pilotos brigando pelas vitórias. Finalmente, na Moto3, Danny Kent é o líder.

A F-1 descansa, mas não deixa de ser assunto. Dois pilotos polêmicos, embora de épocas distintas - Kimi Raikkonen, campeão mundial de 2007, e Nigel Mansell, campeão em 1992 - gostariam de ver uma Fórmula-1 em que os pilotos tenham de assumir mais riscos.

Kimi chegou à F-1 em 2001, saindo da Fórmula Renault, exatamente pela agressividade demonstrada ao vencer o campeonato inglês. Mansell viveu os melhores anos da F-1 em 80 e 90, tendo como rivais Nelson Piquet, Alain Prost e Ayrton Senna. E hoje, aos 61 anos, sente falta dos grandes duelos em pistas mais desafiadoras, nas quais qualquer erro significava um acidente ou uma quebra do carro. Tudo era mais perigoso, desde o carro até as pistas, mas ele diz que isso levava os pilotos a respeitarem mais uma curva de alta velocidade.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.