Corrida deve reunir 70 mil torcedores

Ingresso mais barato custa R$ 510; Já as camisetas oficiais vão de R$ 250 a R$ 400

WILSON BALDINI JR, O Estado de S.Paulo

24 de novembro de 2012 | 02h04

SÃO PAULO - Em 41 anos, o torcedor brasileiro aprendeu a admirar a Fórmula 1, sem a necessidade de ter obrigatoriamente um piloto nacional na disputa do título. É o que poderemos ver amanhã, no Autódromo de Interlagos. A expectativa dos organizadores da última prova de 2012 da categoria mais importante do automobilismo é de que mais de 70 mil pessoas compareçam ao autódromo. Não há um levantamento das vendas feitas até agora.

O salgado preço de R$ 510 como o mais econômico parece não ter assustado os fãs, que não festejam uma conquista desde Ayrton Senna, em 1991.

O GP chama a atenção até de países vizinhos. "Estamos órfãos desde Fangio", brincou o argentino Pablo, relembrando o lendário pentacampeão da década de 50, juntamente com os amigos Juan, Martínez, Paco e Luis. "Compramos muita coisa para revender em Santa Fé", continuou o "hermano" bastante animado, após gastar cerca de oito mil reais em produtos nas lojas oficiais. "Camisetas do Senna e do Schumacher são disputadas a tapa em nosso país."

Acompanhar a F-1 não é barato. Camisas oficiais das equipes custam de R$ 250 a R$ 400, enquanto um casaco da McLaren sai por exorbitantes R$ 1.100. Um boné oficial da Ferrari custa R$ 120. Já nos faróis próximos ao autódromo, uma versão inferior custa R$ 15.

O fanático torcedor que tiver um dinheiro para gastar ainda pode comprar seu ingresso nas bilheterias de Interlagos ou nos quatro shoppings Iguatemi (Faria Lima, Juscelino Kubitschek, Alphaville e Campinas), das 7 às 17 horas de hoje ou até as 12 horas de amanhã.

Tudo o que sabemos sobre:
GP InterlagosFórmula 1

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.