Craque dribla as poças e faz quatro

Num campo encharcado, Neymar teve uma atuação de gala e condenou o time da casa ao rebaixamento

DANIEL BATISTA, O Estado de S.Paulo

14 de abril de 2013 | 02h02

Os holofotes estavam todos em cima de Neymar antes da partida. O Barcelona não vê a hora de contar com ele, e o craque mais uma vez mostrou que vale o investimento que o clube espanhol se dispõe a fazer. Mesmo com campo encharcado e um adversário desesperado para vencer e não cair, o craque da Vila Belmiro marcou os quatro gols da vitória por 4 a 0 sobre o União Barbarense e assumiu a artilharia do Estadual com 12.

Antes de começar a partida, todo mundo queria falar com Neymar, o astro em campo. Além da idolatria dos torcedores, ele falou sobre a possibilidade de jogar no Barcelona (leia mais ao lado). Antes de a bola rolar, o técnico interino Tata - substituindo Muricy Ramalho, que se recupera de uma diverticulite - começou a ganhar o jogo. Isso porque todo mundo esperava o Santos com dois atacantes, inclusive o técnico Claudemir Peixoto.

Mas o auxiliarde Muricy escalou Neymar, Giva e Patito Rodriguez juntos e com isso anulou o zagueiro da sobra que o Barbarense teria, já que entrou em campo com três beques. Com a marcação um contra um ficou tudo mais fácil.

O adversário inesperado foi o gramado. Com muitas poças, o que mais se viu foram jogadores precisando driblar a água. Exceto Neymar, que por ser diferenciado conseguiu jogar como quis com a bola pelo alto. E não demorou para o show começar.

Aos sete minutos, Cícero deu um lançamento para o meio da área, Neymar dominou com categoria e bateu cruzado, para abrir o placar. O Santos continuou no ataque e aos 26 ampliou. Guilherme Santos cruzou rasteiro da esquerda, Patito desviou e Neymar, sem goleiro e nada à frente, tocou de leve na bola e mandou para as redes. Para não falar que só Neymar brilhou, Rafael fez uma grande defesa aos 25, em um chute de Cesinha, o único perigoso do Barbarense.

Para completar o show. No segundo tempo, nada mudou. O Santos continuava em ritmo de treino e o limitado time do interior só ficava olhando. Os mais distraídos nem conseguiram ver o terceiro gol.

Aos 48 segundos, Patito partiu da ponta-esquerda e cruzou na primeira trave para Neymar tocar na saída de Walter.

E para fechar com chave de ouro e com uma variação de repertório de gols, Neymar partiu em velocidade aos cinco minutos, deixou dois para trás na corrida e mesmo com um marcador em sua cola bateu no canto esquerdo do goleiro.

E ele não cansou. Aos 21, recebeu passe de Patito Rodriguez e tocou na saída do goleiro. Dessa vez a bola caprichosamente bateu na trave e voltou para as mãos do goleiro. No minuto seguinte, Neymar ainda fez outro gol, mas impedido. Não fez falta. Fim do espetáculo em Santa Bárbara d'Oeste.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.