Craque nunca perdeu o vínculo com o esporte

Michael Jordan, como todos os astros do esporte, teve momentos de altos e baixos, porém sempre manteve a coerência em um quesito: desde sua primeira aposentadoria como jogador do Chicago Bulls, em 1994, até a aquisição da maioria das ações do Charlotte Bobcats, ontem, ele jamais abandonou o esporte.

, O Estadao de S.Paulo

18 de março de 2010 | 00h00

A primeira tentativa de aposentadoria de Jordan foi curta. Na temporada 1993/1994, o então astro, tricampeão da NBA com o Chicago Bulls (90/91, 91/92 e 92/93), deixou o basquete em busca de novos desafios. Tentou se dedicar ao beisebol, mas como não conseguiu o mesmo sucesso, retornou ao basquete no ano seguinte. Ainda ajudou o time de Illinois a levantar a taça em 95/96, 96/97 e 97/98. Na sequência, o jogador parou novamente e tentou se dedicar ao trabalho fora das quadras. Passou a trabalhar no Washington Wizards como dirigente, porém voltou novamente às quadras em 2001. Sem mostrar, porém, a mesma performance dos anos de ouro em Chicago, encerrou definitivamente a carreira de atleta em 2003, ao ser demitido pelo dono do clube, Abe Pollin.

Jordan voltou às atividades com o basquete em 2006, quando foi convencido pelo amigo Bob Johnson a se tornar um dos sócios da equipe de Charlotte Bobcats - sua carreira sempre esteve ligada à Carolina do Norte, onde cresceu. Trabalhou com a equipe até que este ano decidiu assumir o comando da equipe, ao se tornar o sócio majoritário.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.