Craques vão estudar novas regras

A Fifa chama um Rei e um Imperador para resgatar o glamour da Copa do Mundo e dar já ao Mundial de 2014 a máxima qualidade esportiva, perdida nos últimos anos. Pressionada por patrocinadores e frustrada com a baixa qualidade do futebol apresentado na Copa de 2010, a entidade anunciou que Pelé e Franz Beckenbauer vão liderar um grupo de trabalho para repensar as regras do jogo e da competição para o Mundial em três anos.

, O Estado de S.Paulo

15 de abril de 2011 | 00h00

O grupo se reunirá pela primeira vez no dia 10 de maio, em Zurique, para começar a debater propostas. Entre os convidados para fazer parte do comitê está Cafu, o italiano Albertini, Bobby Charlton, Hierro e o árbitro Massimo Busacca, entre outros. De uma forma diplomática, a Fifa anunciou que o grupo terá como objetivo " analisar propostas para melhorar a atratividade do futebol e a arbitragem". Caberá a Beckenbauer e Pelé agruparem as ideias e, com a ajuda dos demais especialistas, ver como poderão ser adotadas.

Na prática, fontes da entidade confirmaram ao Estado que patrocinadores, técnicos e mesmo redes de TV se queixaram ao ver jogos nada atraentes, sem gols e com as maiores estrelas do mundo se arrastando pelo campo.

A questão da arbitragem é um dos pontos centrais e o desastre em 2010 também obrigará a Fifa a pensar em soluções para 2014. Uma delas seria a profissionalização dos juízes que atuam no Mundial. A outra é a introdução de chips nas bolas.

Em campo, uma das propostas que será avaliada é a de dar um mês para seleções se prepararem antes da Copa. A meta seria dar mais tempo para que os astros possam se recuperar de temporadas duras em seus clubes e chegar ao Mundial em plena forma. Ainda há a ideia de impedir que jogos, mesmo da primeira fase, terminem empatados.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.