Crime organizado controla 25% do esporte, diz Howman

Diretor-geral da Agência Mundial Antidoping faz pedido a todos os envolvidos na luta contra a corrupção no esporte para que se unam

OSSIAN SHINE, REUTERS

07 de outubro de 2014 | 11h07

O homem encarregado de eliminar o doping do esporte afirma que o crime organizado controla um quarto da atividade esportiva profissional no mundo. David Howman, diretor-geral da Agência Mundial Antidoping, fez um pedido a todos os envolvidos na luta contra a corrupção no esporte para que se unam de forma a impedir que os "caras maus" vençam.

"A maior ameaça ao esporte é o crime organizado", disse Howman a delegados em uma conferência sobre segurança no esporte realizada em Londres. "Não vamos categorizá-lo como armação de resultados e suborno, isso é crime organizado", acrescentou. "E acho que atualmente o crime organizado controla pelo menos 25% do mundo do esporte, de uma forma ou de outra."

Howman disse que as pessoas que distribuem drogas, esteroides, hormônios do crescimento (GH) e eritropoietina (EPO) e outras substâncias são as mesmas que corrompem os atletas e pagam para manipular resultados. "São os mesmos caras maus", afirmou na conferência. "Agora, os caras bons têm de prevalecer. Quem são os caras bons? Vamos reuni-los e garantir que possam trabalhar em um plano. Porque, do contrário, os caras maus vão vencer no esporte."
Tudo o que sabemos sobre:
Dopingcrime organizado esportefutebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.