Crise chega à Indy: Detroit está fora

Não há dinheiro para a corrida

, O Estadao de S.Paulo

20 de dezembro de 2008 | 00h00

A cidade que se tornou símbolo da indústria automobilística moderna tem motivos de sobra para tristeza. A crise econômica mundial levou os organizadores do Grande Prêmio de Detroit da F-Indy a cancelar a corrida de 2009. Bud Denker, presidente da comissão de corridas do autódromo de Belle Isle, desabafou: "Considerando os tempos difíceis que experimentamos, não poderíamos pedir às partes que cedessem mais."O dirigente contou que trabalhou nos últimos meses para evitar o cancelamento. "O Grand Prix é patrocinado por empresas nacionais e estrangeiras, como a Big Three (General Motors, Ford e Chrysler, as três maiores empresas automobilísticas de Detroit), a Audi e a Porshe", lembrou. Segundo Denker, a cidade, o Estado, os patrocinadores foram consultados sobre a possibilidade de manter a corrida e a decisão foi de que seria mais prudente abdicar da participação em 2009 para tentar voltar no ano seguinte. Segundo o presidente da Divisão Comercial da Indy, Terry Angstadt, a novidade não foi exatamente uma surpresa. "É uma má notícia. Suspeitávamos que pudesse acontecer há algum tempo, mas o povo de Detroit recebeu a Indy com presença massiva nos últimos anos e apoiaremos todos os esforços da cidade para regressarmos em 2010." Detroit é o berço da indústria automobilística moderna - a maioria das grandes montadoras americanas começou suas atividades na cidade para depois expandirem-se para o restante do mundo. A tradição na fabricação de carros sempre inspirou pilotos e torcedores a tratar as provas de Detroit com respeito. A Fórmula 1 organizou GPs entre 1982 e 1988 com grande desempenho de brasileiros. O último piloto a ganhar uma corrida foi Ayrton Senna, com uma McLaren. Na ocasião, o piloto largou na pole position para conquistar a terceira vitória consecutiva em Detroit. Nelson Piquet também ganhou uma corrida, em 1984. A Indy organizou eventos no Circuito de Belle Isle, de 1989 a 2001. Depois de um período de recesso, a prova voltou a ser organizada em 2007 e teve como vencedor o brasileiro Tony Kanaan. Este ano, 100 mil pessoas acompanharam os três dias de corrida. A prova contou com 69 empresas patrocinadoras, contra 59 do ano anterior. O vencedor foi o inglês Justin Wilson.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.