Crise diplomática entre Croácia e Eslovênia atinge os esportes

Em meio ao veto à entrada na UE, seleção juvenil eslovena de caratê não participou de um torneio em Zagreb

EFE

22 de dezembro de 2008 | 10h39

O veto parcial que a Eslovênia impôs à continuação de negociações entre a União Européia (UE) e a Croácia também repercute nos esportes. Neste fim de semana, a seleção juvenil eslovena de caratê não compareceu a Zagreb ao tradicional torneio de Natal, alegando falta de segurança, informou a imprensa eslovena e croata. O organizador do torneio, Nediljko Piplica, afirmou que os responsáveis foram os pais dos jovens eslovenos, que temiam que os filhos pudessem sofrer agressões na capital croata. Os próprios eslovenos posteriormente desmentiram se tratar de um boicote à competição, mas alegaram que desconheciam as datas do torneio. Além disso, a federação de futebol croata (HNS) anunciou que ia abandonar seu campo em Catez, uma localidade eslovena, onde a seleção se preparava para todas as partidas internacionais há dez anos. Segundo os diretores da federação, o problema é o gramado, que não satisfaz os critérios de uma seleção de elite como a croata.  

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.