Crise entre a McLaren e a FIA derruba Ron Dennis

Ron Dennis, um dos donos de equipe mais vitoriosos da história da F-1, com 7 títulos mundiais de pilotos e 10 de construtores, vai deixar a competição. Na sede de sua escuderia, a McLaren, ontem, em Woking, Inglaterra, anunciou que cuidará de uma nova empresa do grupo, voltada para a construção de um carro de série. O que está por trás da sua saída, porém, é algo bem sinistro: evitar punição mais séria a seu time no julgamento do dia 29, em Paris. Em 2007, o projetista-chefe da McLaren, Mike Coughlan, foi surpreendido pela polícia inglesa, em casa, com desenhos do carro da Ferrari. Por espionar o concorrente, a McLaren foi excluída do Mundial de Construtores e pagou multa de US$ 100 milhões. Na abertura do campeonato, na Austrália, seu piloto Lewis Hamilton e o diretor esportivo Dave Ryan mentiram para os comissários após a prova. A gravação das conversas entre Hamilton e a equipe expuseram a farsa. No dia 29, na sede da FIA, a McLaren volta ao banco dos réus.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.