Crise já reduz o público em estádios europeus

Torcedores preferem economizar

Jamil Chade, O Estadao de S.Paulo

27 de janeiro de 2009 | 00h00

A Inglaterra entrou em sua primeira recessão em 17 anos e soma 2 milhões de desempregados. Na Espanha, são 3 milhões sem emprego. Nos campos, clubes como o Manchester United começam a perder patrocinadores. Na arquibancada o impacto pode ser ainda mais forte. Levantamento aponta que 25% dos torcedores ingleses que contam com ingressos para toda a temporada podem abandonar sua paixão de ir ao estádio diante da crise. NA Espanha, a frequência nos estádios já caiu em mais de 7% na primeira parte da temporada. Segundo o estudo feito pela Virgin Money?s Football Fans Inflation Index, de cada quatro torcedores ingleses um está considerando cancelar seu ingresso da temporada. Para os analistas que fizeram a pesquisa, a conclusão do levantamento é o sinal mais claro de que a crise mundial vai de fato ter impacto sobre o futebol.O Manchester já perdeu o patrocínio da gigante AIG, que quebrou e teve de ser resgatada pelo governo americano. Outros clubes também tiveram problemas com patrocinadores. Para os torcedores, a crise obriga muitos a permanecer em casa nos dias de jogos. Nos últimos dois anos, o custo de ir ao estádio aumentou em 22% na Inglaterra. Clubes aumentaram os preços dos ingressos, assim como de camisas e outros itens. Hoje uma pessoa gasta em média US$ 150,00 para ver uma partida no estádio no Reino Unido, entre ingresso, alimentação, transporte e a compra de alguma lembrança.Os torcedores mais preocupados são os de West Ham, Blackburn e Newcastle - 37% deles afirmam que vão cancelar seus ingressos para o restante da temporada. Até mesmo os torcedores do Manchester United devem deixar de ir ao estádio - 36% disseram que consideram revender seus ingressos, comprados antes da explosão da crise. "Está difícil justificar para a família gastos com o futebol quando sabemos que a vida está difícil, pessoas da família podem perder seus empregos", afirmou Thomas, um torcedor de 34 anos do Manchester, que já reduziu suas idas aos estádios. "Ver pela TV não é a mesma coisa, mas..."Na Espanha, o jornal Ás relevou que já foi identificada queda de 7,5% na venda de ingressos para a atual temporada em relação ao mesmo período de 2007. A maior foi registrada no Camp Nou, do Barcelona. Apesar de líder, o time viu a média de público cair de 75 mil pessoas por jogo em 2007 para 67 mil agora. No Valência, a queda foi de 42 mil para 36 mil. Para Grant Bather, da Virgin Money?s, está claro que a recessão já afeta o futebol. "Os torcedores são leais a seus times, mas, quando as pessoas começam a perder seus empregos, precisam abandonar alguns hábitos."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.