Crise no futebol do Peru preocupa o Brasil

A crise que se instalou na Federação Peruana de Futebol (FPF) após a derrota da equipe sub-20 do país para Chile e Argentina no Sul-Americano causa apreensão na seleção brasileira. O motivo é a possibilidade de exclusão da cidade de Arequipa, que recebe jogos do Grupo A e também é sede da fase final da competição.

Wagner Vilaron, O Estado de S.Paulo

21 de janeiro de 2011 | 00h00

Arequipa passou a correr risco depois que alguns torcedores tentaram agredir o presidente da FPF, Manuel Burga, o que levou a federação local a ser multada em US$ 20 mil (R$ 35 mil) pela Conmebol, por falhas no esquema de segurança.

A preocupação brasileira é porque qualquer mudança de sede nesse momento provocaria alterações drásticas na logística de todas as seleções. Uma das opções seria transferir a última etapa do torneio para Tacna, sede do Grupo B, onde estão os brasileiros. De acordo com a agência de notícias DPA, a Conmebol trabalha com a ideia de realizá-los com os portões fechados.

"O mais lamentável é pensar em jogar com os portões fechados. Caso contrário, levaríamos as partidas para Tacna. Só espero que tudo se resolva e as pessoas apoiem sem agredir"", afirmou o diretor da Federação Peruana, Enrique Mayor.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.