Crise vira assunto de Estado e Sarkozy mobiliza ministério

A crise na seleção francesa virou assunto de Estado. Por ordem do presidente Nicolas Sarkozy, a ministra dos Esportes, Roselyne Bachelot, se reúne hoje com o técnico Ravmond Domenech, o capitão Patrick Evra e o presidente da Federação Francesa de Futebol (FFF), Jean-Pierre Escalette. "Nós vamos chamar à dignidade e à responsabilidade. É preciso que os jogadores se controlem", disse a ministra.

Andrei Netto, correspondente em Paris, O Estado de S.Paulo

21 de junho de 2010 | 00h00

Nas entrelinhas, a executiva antecipou que cabeças vão rolar após a Copa do Mundo. "O momento não é de fazer balanços. Mas esta hora chegará."

O fiasco da França na Copa deve ter implicações profundas na estrutura da federação. Se Domenech já sabia que não treinaria mais os azuis a partir de 7 de julho, agora todo o comando do futebol está ameaçado.

Os problemas na equipe já haviam mobilizado Sarkozy no sábado. De Moscou, o presidente classificou o episódio de "inaceitável". Minutos depois, Anelka foi cortado, o que motivou reunião entre jogadores e comissão técnica no ônibus. Ontem, após o novo incidente, Bernard Kouchner, ministro das Relações Exteriores, chamou o ocorrido de "novela assustadora".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.