Cristiano Ronaldo põe Portugal na semi

Atacante faz de tudo na partida, com direito a bicicleta e bolas na trave, e leva seu time a superar a muralha checa

VARSÓVIA, O Estado de S.Paulo

22 de junho de 2012 | 03h04

Portugal passou à semifinal da Eurocopa graças a um gol de cabeça do craque Cristiano Ronaldo, que superou o goleiro checo Petr Cech e passou a ser o artilheiro da Eurocopa ao lado do alemão Mario Gomez, do croata Mandzukic e do russo Dzagoev, todos com três gols.

A muralha checa, que tinha em Cech seu ponto forte, permaneceu intacta na partida até os 34 minutos do 2.º tempo. E olha que Cristiano Ronaldo tentou de tudo. O show do português começou aos 24 do 1.º tempo, quando entrou cara a cara com Cech, mas não conseguiu vencer o goleiro. Aos 32, ele tentou de bicicleta, mas mandou para longe. A primeira das duas bolas na trave foi já no último minuto da etapa inicial, em lance individual, e depois no começo da segunda etapa, quando bateu falta de longe.

Curiosamente, porém, o gol nasceu de lance coletivo. João Moutinho fez jogada pela ponta direita e cruzou na área. Hugo Almeida não alcançou, mas Cristiano Ronaldo estava lá. O craque apareceu livre e cabeceou para o chão, sem chance de defesa.

A partir daí, a República Checa resolveu reagir e até Cech foi para a área tentar a finalização nos acréscimos, mas a seleção se despediu. Já Portugal espera agora o vencedor do confronto entre Espanha e França amanhã.

Justiça. Para Cristiano Ronaldo, a vitória portuguesa foi justa e ele comentou que a esperança de chegar ao título da competição é grande. "É mais uma etapa vencida. Vamos ver quem vamos enfrentar agora, mas a esperança de seguir avançando é grande, sempre com os pés no chão", comentou.

Esta também foi a opinião do atacante Nani. "Temos sempre de sofrer um pouco, porque nesta fase todas as partidas são difíceis. O adversário era forte e mostrou qualidade, porém fomos muito superiores."

Até mesmo o técnico checo Michal Bilek reconheceu a superioridade adversária. "Portugal foi mais perigoso, e nosso goleiro (Cech) nos salvou em várias ocasiões." E sobre o protagonista da partida, Cristiano Ronaldo, Bikek admitiu. "Nos preparamos para ele, mas foi muito difícil pará-lo. Sua capacidade de finalização é assombrosa."

Quanto à ausência do capitão Rosicky, Bilek disse que até o último momento ele queria entrar, mas revelou que o jogador não estava cento por cento.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.