AP/Darron Cummings
AP/Darron Cummings

Presidente da Indy renuncia por problemas nas 500 milhas

Derrick Walker deixa a categoria no fim da temporada

Estadão Conteúdo

30 de julho de 2015 | 16h04

A organização da Fórmula Indy confirmou oficialmente nesta quinta-feira que o presidente da categoria, Derrick Walker, irá deixar o seu cargo em 31 de agosto, um dia após a prova da final desta temporada. Por meio de um comunicado, a Indycar anunciou que o dirigente optou por deixar o cargo com o objetivo de "buscar outras oportunidades profissionais", assim como informou que a "procura por um substituto está em curso".

Ao oficializar a saída de Walker após a etapa de Fontana, marcada para 30 de agosto, a Indy também destacou as "importantes contribuições" que ele introduziu na categoria durante o período de sua gestão, que começou em maio de 2013. Entre elas estão a entrada da etapa de Boston como novo evento do calendário a partir de 2016 e o ingresso do GP de Indianápolis a partir de 2014.

Walker também liderou um investimento adicional para melhorar a tecnologia de controle de corrida e introduziu novos kits aerodinâmicos para os carros. Preocupado com os pilotos, eles conseguiu promover mudanças nos monopostos da Indy, tornando os mesmos mais estáveis e consequentemente mais seguros.

Diretor-executivo da Indy, Mark Miles foi o responsável por comunicar a renúncia de Walker e lamentou a sua saída nesta quinta. "Tivemos benefícios com a longa experiência de corrida de Derrick, seu esforço incansável e sua paixão pela Indy. E ele fará falta", afirmou o dirigente, que depois desejou sorte a Miles na continuidade de sua carreira profissional.

Walker, por sua vez, agradeceu a oportunidade de ter trabalhado de perto com proprietários de equipes, pilotos e com a equipe da Indy Car. "Depois de duas temporadas e meia de corridas, acredito que é a hora certa de avançar para outras oportunidades", ressaltou.

Apesar do discurso dos dirigentes, Walker é mais um presidente a renunciar após nova crise envolvendo um presidente da Indy. O próprio Miles admitiu, em entrevista ao jornal IndyStar, que o mandatário estava decepcionado com os problemas ocorridos com kits aerodinâmicos e na direção das provas, que geraram críticas dos pilotos.

Estes problemas foram evidentes nas duas provas de 500 Milhas do calendário. Primeiro nos treinos para a tradicional 500 Milhas de Indianápolis e depois na prova de Fontana. E Walker também sofreu críticas por atitudes consideradas inconsistentes na direção de prova, assim como em punições polêmicas que acabaram sendo aplicadas aos pilotos.

Em meio a este cenário de crise, o calendário da Indy conta neste domingo com a etapa de Mid-Ohio, onde o colombiano Juan Pablo Montoya, líder do campeonato com a Penske, voltará dar novo passo rumo ao título. Ele tem 445 pontos, enquanto o vice-líder é Graham Rahal, com 403. Scott Dixon, com 397, e o brasileiro Hélio Castroneves, com 391, vêm logo atrás nesta briga pelas primeiras posições.

Tudo o que sabemos sobre:
Fórmula IndyDerrick Walker

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.