Críticas ao juiz custam R$ 5 mil a Luxemburgo

O técnico Vanderlei Luxemburgo está livre para dirigir o Palmeiras tanto na noite de hoje como no restante do Campeonato Paulista. Julgado ontem pelo Tribunal de Justiça Desportiva de São Paulo, levou apenas multa de R$ 5 mil por ter desrespeitado o trio de arbitragem no clássico com o Corinthians, dia 8, em Presidente Prudente. Escapou de 360 dias de suspensão, a pena máxima prevista. Luxemburgo fora enquadrado no artigo 188 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva, que trata sobre quem se "manifestar de forma desrespeitosa, ou ofensiva, contra membros do Conselho Nacional de Esporte; dos poderes das entidades desportivas ou da Justiça Desportiva, e contra árbitro ou auxiliar em razão de suas atribuições, ou ameaçá-los" e prevê que esse tipo de infração pode ser detectado "por meio da imprensa, rádio, televisão, internet ou qualquer meio eletrônico".No fim do clássico (1 a 1), o treinador esbravejou com o árbitro Cleber Wellington Abade. Na súmula, o juiz relatou ter sido chamado de covarde. Além disso, o técnico também foi julgado por ter ofendido os assistentes da partida. "Consegui a absolvição em relação aos bandeiras e, quanto ao árbitro, ficou provado que foi mais uma conversa, não uma ofensa. Por isso, a comissão disciplinar resolveu aplicar apenas a multa de R$ 5 mil", disse Luiz Roberto Martins Castro, advogado do Palmeiras, à Rádio Globo. Luxemburgo não foi à Federação Paulista de Futebol (FPF), local do julgamento.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.