Cruzeiro decepciona e fica no 0 a 0 com a URT na abertura do Mineiro

O Cruzeiro não conseguiu passar de um decepcionante 0 a 0 com a URT, na tarde deste domingo, no Mineirão, em sua estreia no Campeonato Mineiro. A equipe esteve perto de marcar por algumas vezes, mas parou no goleiro Follmann e na trave nas melhores oportunidades de gol que criou.

Agência Estado, Estadão Conteúdo

31 Janeiro 2016 | 19h58

Desta forma, o time cruzeirense fechou a sua semana com dois empates, pois na última quarta-feira havia ficado no 1 a 1 com o Criciúma, em Santa Catarina, em sua estreia na Copa Sul-Minas-Rio. O técnico Deivid, por sinal, fez sua primeira partida no Gigante da Pampulha como novo técnico da equipe.

Aos olhos de 15.397 torcedores no Mineirão, o Cruzeiro acabou esbarrando na muralha defensiva criada pela equipe de Patos de Minas. Assim, o time terá de buscar a sua primeira vitória na competição estadual na próxima quarta-feira, quando enfrentará o Tombense, em Muriaé, às 19h30, pela segunda rodada.

Pelo que criou em campo, o Cruzeiro poderia ter perfeitamente estreado com vitória neste domingo, pois acertou duas vezes a trave. Primeiro com Willian, em cobrança de falta que acertou o travessão, aos 28 minutos do primeiro tempo. E depois com Alisson, que cabeceou no poste esquerdo um cruzamento aos 7 minutos da etapa final. O goleiro Follmann, porém, teve participação decisiva no lance ao espalmar a bola antes de a mesma bater na trave.

Follmann praticou outras boas intervenções, como em um chute de Arrascaeta e em uma cabeçada de Willian, ainda no primeiro tempo. E, vendo que estava difícil furar o bloqueio do URT, Deivid resolver fazer três alterações de uma só vez já aos 18 minutos da etapa final. Arrascaeta, Alisson e Willian saíram paras as entradas de Gabriel Xavier, Sánchez Miño e Douglas Coutinho.

Porém, o time cruzeirense pouco criou e só foi assustar a URT novamente aos 43 minutos, quando Ariel Cabral finalizou para nova boa defesa de Follmann, o nome do jogo no Mineirão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.