Cruzeiro defende o 1º lugar e Atlético-MG tenta sair do buraco

Clássico mineiro será em Uberlândia, às 18h30, e, por acordo entre clubes, só contará com a presença da torcida celeste

Marcelo Portela, O Estado de S.Paulo

24 de outubro de 2010 | 00h00

Atlético-MG e Cruzeiro entram em campo hoje com o mesmo objetivo, mas por motivos opostos no Brasileiro. Enquanto o Atlético-MG luta para se manter na Série A e busca a vitória para deixar a zona de rebaixamento, o Cruzeiro, que está apenas um ponto à frente do Fluminense, quer ganhar para seguir na liderança da competição e dar mais um passo rumo ao título. A partida começa às 18h30, no estádio Parque do Sabiá, em Uberlândia.

 

Veja também:

BRASILEIRÃO - lista Resultados | tabela Classificação

Por um acordo entre as equipes, apenas a torcida celeste teve acesso aos 44 mil ingressos postos à venda. Até a noite de sexta-feira, porém, pouco mais de 8 mil haviam sido vendidos.

No clássico mineiro do primeiro turno, em 1.º de agosto, só atleticanos estavam presentes na Arena do Jacaré, em Sete Lagoas. Só que quem levou a melhor foi o Cruzeiro, que venceu por 1 a 0.

Na ocasião, o autor do gol foi o atacante Wellington Paulista, que desfalcará a equipe celeste na partida de hoje. Devido a uma lesão no joelho, o atleta não foi nem relacionado e a previsão é de que fique por até três semanas em tratamento. Em seu lugar, o técnico Cuca deve optar pelo argentino Ernesto Farías.

Por outro lado, o zagueiro Cláudio Caçapa, que ficou dez dias afastado também por problema no joelho, pode voltar. Ele treinou durante toda a semana e viajou com a delegação.

Reforços. O Atlético-MG, embalado pela classificação para as quartas de final da Copa Sul-Americana, ainda conta com o retorno do artilheiro Diego Tardelli, que se recuperou de lesão na coxa e fará dupla com Obina.

Além de Tardelli, o técnico Dorival Júnior também espera contar com Leandro. O lateral teve a mão fraturada e ainda usa gesso, mas afirma não sentir mais dores e pode retirá-lo para jogar com uma proteção.

De ambos os lados, expectativa e disposição de buscar a vitória a qualquer custo imperam entre os jogadores. "Geralmente a gente vai pensando somente no clássico, mas, dessa vez está sendo diferente. Tem também a liderança", afirmou o volante Fabrício. "Estamos preparados. É um jogo fora de casa. Nada mais que isso", retrucou Tardelli.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.