Cruzeiro joga e pressiona juiz

Escalação de Leandro Vuaden para duelo com o Vasco é bem recebida, mas o clima em Sete[br]Lagoas deve ser quente

, O Estado de S.Paulo

21 de novembro de 2010 | 00h00

A gritaria do Cruzeiro na derrota por 1 a 0 para o Corinthians, na última rodada, transferiu pressão extra para a arbitragem no confronto contra o Vasco, hoje, às 19h30, na Arena do Jacaré. A escalação do gaúcho Leandro Pedro Vuaden foi considerada positiva pelos dirigentes mineiros, mas no acanhado estádio de Sete Lagoas a pressão sobre a arbitragem deverá ser enorme.

Apesar do discurso de que os problemas no jogo contra o Corinthians ficaram para trás, os próprios atletas sugerem que o clima, hoje, não será dos mais amistosos. "Espero que não aconteça mais isso (supostos erros contra o time). A gota d"água foi o último jogo. Se acontecer, não sei qual vai ser a minha reação nem a dos outros jogadores"", desabafou o atacante Wellington Paulista.

Contra o Vasco, o time do técnico Cuca entrará em campo sabendo os resultados dos principais adversários, que jogam às 17 horas. "Se eles tropeçarem e nós não fizermos nossa parte, não vai adiantar nada "", ponderou o lateral-esquerdo Diego Renan, provável substituto de Gilberto, que cumpre suspensão. "Se algum concorrente perder, nossa responsabilidade aumenta"", reforçou o zagueiro Leo.

A principal dúvida de Cuca é a escalação do meia Montillo, contundido no tornozelo esquerdo. Se for vetado, Roger joga.

O Vasco precisa de três pontos nas três rodadas finais do Brasileiro para garantir vaga na Sul-Americana. Por isso, o técnico Paulo Cesar Gusmão armou um time ofensivo para o confronto. Carlos Alberto atua na frente, ao lado de Éder Luís.

Ainda hoje, o Botafogo recebe os reservas do Inter e o Avaí pega o Atlético-GO em casa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.