Cruzeiro supera Fla e segue na luta

Mineiros vencem, de virada, em Volta Redonda, e ainda sonham com título. Cariocas, apesar do revés, se salvam da queda

Bruno Lousada, O Estado de S.Paulo

29 de novembro de 2010 | 00h00

O Cruzeiro derrotou ontem o Flamengo, por 2 a 1, mas os dois deixaram o Estádio da Cidadania, em Volta Redonda, festejando. O time mineiro fez sua parte. Embora o sonho de erguer o troféu do Campeonato Brasileiro esteja distante, manteve-se na luta para conquistar o título. Chegou aos 66 pontos e, na última rodada, precisa superar o Palmeiras, na Arena do Jacaré, e torcer para tropeços de Corinthians e Fluminense contra os rebaixados Goiás e Guarani. Uma combinação de resultados bem improvável, mas a equipe de Belo Horizonte promete não desistir.

Já o Flamengo respirou aliviado: conseguiu a permanência na divisão de elite do futebol nacional, mas não por méritos próprios. O time carioca só se livrou de um fim de campeonato dramático porque Atlético-GO e Vitória empataram ontem com São Paulo e Internacional, respectivamente, e agora decidem o último rebaixado em confronto direto no próximo domingo.

Com isso, no mesmo dia, o Flamengo vai fazer um amistoso de luxo com o Santos, na Vila Belmiro. Nesta semana, a diretoria rubro-negra e o técnico Vanderlei Luxemburgo já vão começar a planejar o time para 2011. Ao que tudo indica, a equipe será reformulada - a lista de dispensa não deve ser pequena.

"Valeu a luta de todos. Estamos vivos. O campeonato está em aberto", afirmou o meia Roger, autor do primeiro gol do Cruzeiro.

Já o meia Montillo comprovou sua vocação para ser carrasco do Flamengo. No ano passado, jogando pelo Universidad do Chile, o argentino fez o gol que eliminou a equipe rubro-negra das quartas de final da Taça Libertadores. Ontem, ele voltou a aprontar. O Flamengo vencia por 1 a 0, gol do atacante Diego Maurício, e Montillo entrou em ação. Sofreu falta de Willians na entrada da área. Roger cobrou, a bola desviou na barreira e deixou o goleiro Marcelo Lomba batido: 1 a 1, aos 15 minutos de jogo.

Na etapa final, Montillo conseguiu se livrar da marcação, foi à linha de fundo e cruzou na medida para o atacante Thiago Ribeiro fazer, de cabeça, 2 a 1 para o Cruzeiro. A torcida celeste foi à loucura e provocou o Flamengo com os gritos de "ão, ão, ão, Segunda Divisão".

Inspirado, Montillo protagonizou, em seguida, o lance mais bonito da partida. Fez fila, passou por dois adversários, deu passe perfeito para o esforçado atacante Wellington Paulista marcar. Mas a finalização saiu péssima, para desespero do argentino, que levou as mãos ao rosto e se jogou no chão.

Em campo e nas arquibancadas, o semblante dos torcedores e dos jogadores do Flamengo era de tensão. Se Atlético-GO ou Vitória fizesse mais um gol e vencesse seu compromisso, a situação da equipe carioca só iria piorar. Entretanto, tudo deu certo para o clube carioca.

"Não encontraria um adversário fácil de ser batido, pois se trata do Flamengo, que é o atual campeão brasileiro. Além disso, eles têm um bom time. Se nossa intenção é conquistar o título do Brasileirão, precisamos manter o bom futebol, mas principalmente nossa determinação", afirmou Montillo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.